Cresce o número de mulheres estupradas na linha férrea

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Sabará, como resultado da investigação de um caso de estupro ocorrido na última segunda-feira (2), chegou ao suspeito Luiz Francisco da Silva, de 46 anos. Ele confessou ter abordado 13 mulheres, sendo que com três não houve a conjunção carnal. Os fatos aconteceram próximo à linha férrea da cidade, no bairro Nossa Senhora de Fátima. A prisão em flagrante do investigado foi ratificada pela PCMG na quarta-feira (4), e a autoridade policial vai representar à Justiça pela prisão preventiva, para que ele fique no sistema prisional até a conclusão do inquérito. 

De acordo com a delegada Alessandra Alvares Bueno da Rosa, a primeira ocorrência foi registrada em 2012 e, até o momento, foram cinco casos formalizados. “Fizemos contatos com essas vítimas e elas reconheceram o autor. O meu recado para as demais mulheres que sofreram o abuso é que compareçam à delegacia e façam o boletim de ocorrência, para que o suspeito seja devidamente responsabilizado pelos crimes cometidos, inclusive com maior pena”, ressalta.

Relatos das vítimas apontam que a ação de Luiz Francisco era muito violenta. As mulheres eram abordadas em um lugar mal iluminado e conduzidas, com uma faca no pescoço, até uma vala. “O requinte de crueldade era tão grande que ele ficava em torno de três horas com a vítima. Acredito que se houvesse uma próxima vítima, talvez ela nem resistisse, porque a violência só agravava. No fato mais recente, além da conjunção carnal, ele jogou álcool no rosto da mulher, fez cortes nos braços e pernas dela e a empurrou de uma altura de três metros”, conta a delegada.

Perfil das vítimas

A delegada Alessandra Rosa explica que o suspeito atuava sempre na região da linha férrea, utilizando a mesma forma de abordagem, no fim de tarde ou à noite. As vítimas identificadas são morenas e com idades acima de 30 anos. Também era comum o suspeito levar pertences das mulheres. “Na última ocorrência, Luiz Francisco levou o celular da vítima e passou para um dos filhos dele, que estava usando o aparelho e também o chip. Identificamos quem era e chegamos ao autor”, diz a delegada, ao informar que o filho alegou não saber dos crimes atribuídos ao pai.

Segundo Alessandra Rosa, o suspeito foi encontrado em casa, no bairro General Carneiro. Além da investigação pela equipe de policiais civis, a Polícia Militar também estava em perseguição ao autor. Foram apreendidos três celulares, sendo um o aparelho da vítima, além da mochila, o boné e a faca usados pelo acusado na prática dos crimes e uma vestimenta do suspeito. Luiz Francisco não possui passagem.

coletiva-sabara-preso

Postado originalmente por: Portal MPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: