Integrantes de gangue são presos por morte de jovem surdo-mudo em BH

Após dois anos de intenso trabalho investigativo, a Polícia Civil desvendou as circunstâncias da morte de Braulio Gomes Barbosa (conhecido como Mudinho), de 23 anos. O rapaz, assassinado em 7 de julho de 2015, no bairro Paulo VI, era surdo-mudo e portador de deficiência mental.

Durante operação realizada no final de abril, cinco integrantes de uma mesma gangue foram presos pelo crime: Victor Pereira de Souza (o Pisquila), de 20 anos; Vitor Candido de Souza Messias (o Zeca), de 28; Rafael Douglas dos Santos (Rafael Pinha), de 25; Fernando Batista Jaqueira (o Figueirinha), de 27; e Mateus Ernani das Neves, de 21.

De acordo com o delegado que coordenou o inquérito policial Emerson Morais, a vítima teria sido morta em razão de um desentendimento com Victor por conta de uma brincadeira. O suspeito se irritou com o fato de Braulio ter cortado a linha de sua pipa e foi tirar satisfação.  A discussão evoluiu para agressão física.

Crime planejado

Após a briga, Victor procurou por Zeca, chefe do tráfico de drogas na região, pedindo autorização para matar o desafeto. Zeca autorizou o crime e ordenou que Fernando fornecesse as armas utilizadas na ação. No dia dos fatos, Rafael ficou designado para fazer uso de drogas com a vítima, a fim de tornar sua reação mais difícil, assim como para vigiar seus passos. Foi ele quem informou a Victor e a Mateus, executores do homicídio, sobre a localização da vítima. Braulio foi morto com diversos disparos de arma de fogo.

O inquérito sobre a morte de Braulio foi relatado e encaminhado à justiça. Os suspeitos, que já possuem registros por crimes como tráfico de drogas, homicídios tentados e consumados, roubos e porte de arma, também estão sendo investigados em outros quatro crimes ocorridos na região.

Postado originalmente por: Portal MPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: