Itaúna: Grupo suspeito de matar corretor de imóveis é apresentado pela Polícia Civil

Quatro suspeitos de cometer o crime de latrocínio contra o corretor de imóveis Ernane Gomes em janeiro foram apresentados na tarde da última terça (8) pela Polícia Civil em Itaúna. As investigações apontam que o corretor Ernane chegou a ser violentado por golpes de faca e madeira, além de ser empalado. Foram presos dois homens e uma mulher na última sexta (4), já o quarto suspeito foi preso na segunda (7).

Foram sete meses de investigações que contaram com o apoio da tecnologia para se chegar até os suspeitos como destacou o delegado Dirceu Ribeiro durante a coletiva. “Dr. Diego teve o cuidado e sutileza de buscar a tecnologia. Inicialmente ele buscou a quebra do sigilo telefônico. As provas apontam que eles (quarteto) combinaram e fizeram esse crime bárbaro”.

Durante as investigações foi apontado que Gleice Kelle Resende de Andrade, de 19 anos, era garota de programa e teria tido alguns encontros com Ernane. Desde a época do crime Gleice estava noiva de Júlio Silva, de 25 anos. Júlio é suspeito de ter arquitetado todo o crime. As investigações também apontam a participação de Maxuel Estêfanio Pereira Campos dos Santos, de 20 anos, e Tiago de Melo Souza, de 27.

As investigações tiveram início com a busca aos números de telefones daqueles que tiveram contato com Ernane em 18 de janeiro, quando foi visto pela última vez. A Polícia Civil chegou até Gleice, que durante um dos depoimentos confessou sua participação no assalto que serviu de emboscada para Ernane. Quem também confessou a participação foi Maxuel.

“Ela marcou com ele em um local ermo onde passam pouquíssimas pessoas. Quando ele (Ernane) chegou, ela entrou no veículo e logo após os comparsas saíram do mato e fizeram a abordagem utilizando-se de faca e madeira. Ali mesmo Ernane já foi agredido. Possivelmente tenha sofrido algum golpe de faca, já que o veículo apresentava bastante quantidade de sangue. Após colocar a vítima no porta malas, seguiram pela MG-050 sentido Divinópolis. Quando chegaram nas proximidades do povoado de Pedra Negra, Gleice e Maxuel ficaram dentro do veículo, descendo Júlio e Tiago juntamente com a vítima, levando-o para um lugar mais escondido, onde ele foi brutalmente assassinado com golpes de faca e veio a sofrer empalamento”, detalhou o delegado Diego Lopes.

O delegado Jorge Melo destacou a agilidade que a delegacia de homicídios de Itaúna vem tendo, obtendo um dos maiores índices de apuração do Estado. Jorge também falou da coletividade para a apuração deste crime.  (Com informações da Rádio Santana FM/ Paloma Guimarães)

.

Relembre o caso:

Após denúncia anônima na manhã desta sexta-feira 20/01, militares compareceram a localidade de Grota Grande, próximo a Pedra Negra, zona rural de Itaúna, onde foi encontrado o corpo de um homem já sem sinais vitais e com marcas de violência identificado posteriormente como Ernane Gomes de 39 anos desaparecido desde a noite de quarta-feira.

Segundo a PM, o corpo estava a quatro quilômetros de distância do local em que o carro foi achado na quinta-feira. A perícia foi acionada e compareceu ao local para os trabalhos de praxe. De acordo com a Polícia Civil de Itaúna que investiga o caso, a vítima foi encontrada com uma faca cravada na região lombar, uma camisa amarrada no pescoço e estava apenas de cueca.

O desaparecimento

Ernane Gomes foi visto pela última vez no fim da tarde de quarta-feira 18/01, por volta das 17h30, quando saiu de sua corretora  que comandava junto com um amigo no Centro de Itaúna.

O sócio de Ernane que pediu para não ter o nome divulgado disse que durante todo o dia, ele se comportou normalmente. Chegou a me contar que iria encontrar uma mulher que era de Pará de Minas. No fim da tarde, repassei para o Ernane uma quantia de R$ 2.000 referente à comissão de um negócio que ele tinha participado. Fui embora da corretora e deixei ele lá com a nossa secretária”.

Ainda na noite de quarta-feira, por volta das 23h, o sócio chegou a enviar uma mensagem de WhatsApp para o amigo, mas o texto não foi recebido. Ele só soube que Ernane tinha sumido na quinta-feira 19/01, quando a mulher do corretor foi até a imobiliária e disse que o marido não estava em casa e o celular só caía na caixa postal.

O delegado responsável pelo caso, Diego Almeida Mendonça informou que “Toda quarta-feira, a mulher dele ia dormir com os pais dela, que são idosos. Pelo que levantamos até o momento, ele aproveitava esse dia da semana para sair”. Os policiais militares estiveram na quinta-feira na casa em que Ernane vivia com a companheira e o filho de 3 anos e contaram que o veículo Fiat Siena dele havia sido encontrado abandonado em um matagal próximo a Rua Manoel Ribeiro. O carro estava com manchas de sangue nos bancos e com um porrete também com marcas de sangue no porta-malas.

 

.

 

Postado originalmente por: Portal MPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: