Projeto de transposição dos trilhos completa uma década parado

Após um acidente registrado comum homem de 27 anos, que ficou ferido após ser atropelado por um trem na região do bairro Planalto em Divinópolis, a reportagem do Sistema MPA levantou várias situações que envolvem o contorno ferroviário em Divinópolis.

Entre os assuntos discutidos recentemente, estão o projeto de transposição dos trilhos, que está parado no DNIT e a ausência de operadores de cancelas nas passagens de nível no município.

Leia também: Jovem é atropelado por trem em Divinópolis; estado de saúde é estável

Sobre o acidente, a VLI empresa que administra a Ferrovia Centro-Atlântica informou em nota que o maquinista avistou um indivíduo caído em cima da linha férrea e acionou os freios de emergência. No entanto, segundo a empresa, não houve tempo hábil para parar a composição. Ainda conforme a nota, um trem demora até um quilômetro para parar quando acionado os freios. A empresa esclarece que colabora com as investigações. A VLI também informou que realiza constantemente campanhas de segurança na malha férrea. Entre as orientações estão as de que é proibido andar sobre ou próximo à linha férrea e pegar carona nas composições.

Em nota, a Prefeitura de Divinópolis informou que o município é o único da área de cobertura da VLI que mantém operadores de cancela e os quatro servidores que realizam a função devem ser desligados em breve. O Executivo ainda citou que existe uma dificuldade em encontrar profissionais para a função e que há dois anos estuda a situação para decidir sobre a retirada das cancelas.

Leia também: Denúncias mostram que atropelamento na linha férrea foi uma tragédia anunciada

Sobre o projeto de transposição dos trilhos, a assessoria do Deputado Federal Jaime Martins (PSD) informou que o projeto está parado há 10 anos no DNIT (Departamento de Infraestrutura e Transportes). Com base em informações no site do DNIT, atualizadas em abril do ano passado, o contorno ferroviário prevê a construção de um desvio de 29,5 km, incluindo uma ponte ferroviária, quatro passagens em dois níveis e a construção do novo pátio de manobras e recomposição de trens. A obra foi contratada no valor de R$ 89.984.307,84; data-base maio de 2009, excluídos o fornecimento de dormentes, trilhos e acessórios de fixação que serão objeto de compra por pregão.

De acordo com o acórdão 3565/14-TCU-Plenário o DNIT deve contratar uma revisão de projeto a fim de adequar todas as interferências não previstas no projeto Executivo ou sujeitas a revisão para adequação a características do traçado. O DNIT está trabalhando para elaboração do termo de referência dessa revisão. De acordo com a assessoria de Jaime, ainda falta finalizar o cumprimento das diligências para liberação das licenças ambientais. 29 ao todo.

Postado originalmente por: Portal MPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: