Dobro de candidatos na briga pelo voto

Maioria dentre os eleitores, mulheres ainda são minoria em candidaturas

O brasileiro vai às urnas no dia 7 de outubro para eleger presidente, governadores, senadores e deputados que ocuparão as cadeiras legislativas nas Assembleias estaduais e na Câmara Federal.

De acordo com o site do TSE, até o dia 21 deste mês foram postulados mais de 27,6 mil pedidos de registro de candidaturas à Justiça Eleitoral. Em Sete Lagoas, 19 candidatos disputam os votos dos 163.539 eleitores, sendo 12 para deputado estadual e sete para federal. São nove a mais que as últimas eleições majoritárias, quando sete representantes da cidade pleitearam uma cadeira na Assembleia Legislativa e três brigaram por um lugar na Câmara Federal.

Maioria com baixa representatividade

Cotas de vagas para mulheres, fundo partidário destinado a candidaturas femininas ou mesmo o recente fortalecimento do discurso contra o machismo adotado por medalhões da política. Nada disso garantiu ainda equilíbrio na representatividade entre homens e mulheres no cenário eleitoral.
Nestas eleições, dos 2.190 candidatos registrados no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), 72,1% são homens e apenas 28,7% são mulheres.
O número ainda é baixo, vez que as mulheres são 51,8% do eleitorado em Minas Gerais, ultrapassando a marca de 8 milhões de eleitoras.
Em Sete Lagoas apenas uma mulher pleiteia uma vaga em 2018. “Nós mulheres somos a maioria da população, porém a minoria na representatividade. Acredito que é importante a nossa participação na política”, afirma Carol Canabrava, candidata a deputada federal.
Para ela, a mulher tem o direito de ser representadas e de participar na tomada de decisão. “É fundamental e importante aumentar a autorrepresentação das mulheres na política para que sejamos protagonistas de nossas próprias lutas, equilibrando os espaços e as relações de poder constitucionais. Eu acredito na força da mulher, é do nosso compromisso civil e político” ressaltou.

O número maior de candidatos em Sete Lagoas reflete o quadro do país, onde, conforme a Justiça Eleitoral, o total de candidatos é 1.474 superior em relação a 2014.

Em Minas Gerais, 2018 quebrou o recorde de inscritos: são 2.217 pretendentes ao pleito, segundo o TRE-MG. Se comparados às duas últimas eleições, em 2014 os mineiros tiveram 1.943 inscritos e em2010, 1.790.

Para deputado estadual, Sete Lagoas possui registrados: Douglas Melo (MDB), Dr. Ronaldo João (PHS), Júlio César Santana (PHS), Cinésio Rocha (PT), Tadeu Machado (PSC), César Maciel (PCdoB), Hudson Maciel (Avante), José Marciano (AVANTE), Ivson Gomes (PRTB), Gilson Liboreiro (PHS), Mestre Tranquilo (PTC) e Marcelino Franco (NOVO).

Já para deputado federal: Ramsés de Castro (PMN), Duílio de Castro (Renovação), Carol Canabrava (Avante), Edilson Rumbelsperger Rodrigues (PDT), Rodrigo Braga (PV), André de Jesus (PSC) e Marcelo Freitas Oliveira “Lico” (PRTB), além da empresária da educação Raquel Muniz (PSD), que possui escolas na cidade.

Além de eleger os legisladores estaduais e federais, os sete-lagoanos deverão optar nas urnas entre o governador Fernando Pimentel (PT), o senador Antonio Anastasia (PSDB), o ex-secretário de Educação João Batista Mares Guia (Rede), a professora Dirlene Marques (PSOL), o empresário Romeu Zema (Novo), Alexandre Flach (PCO) e Claudiney Dulim (AVANTE).

O ex-prefeito Marcio Lacerda retirou a candidatura e desfiliação do PSB no dia 21, e o vice em sua chapa, Adalclever Lopes pode assumir a candidatura. Até o fechamento desta edição, não havia uma definição ainda.

Para presidente, as opções até o momento são 13: Lula (PT), Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (PSOL), José Maria Eymael (Democracia Cristã), Cabo Daciolo (Patriota), João Amoêdo (Novo), João Goulart Filho (PPL) e Vera Lucia (PSTU).

No caso do candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, por ter sido condenado em 2ª Instância pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do tríplex do Guarujá (SP), na Lava Jato, ele pode ser julgado inelegível pela Lei da Ficha Limpa.

Caso Lula seja considerado inelegível antes do dia 17 de setembro (prazo final para partidos trocarem seus candidatos), a tendência é que o PT indique o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad para assumir o seu lugar.

Sete Lagoas possui 163.539 eleitores, 53% do gênero feminino e 46,9% masculino.

Postado originalmente por: Portal Sete

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: