Governador diz que pretende ajudar financeiramente comerciantes afetados pela Onda Roxa em Minas

Após colocar todo o estado na Onda Roxa, o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), disse que pensa em uma ajuda financeira para tentar amenizar a situação econômica enfrentada pelos comerciantes diante de medidas ainda mais restritivas.

“Está previsto para este momento difícil algum tipo de compensação para aquelas atividades e pessoas que vierem a ser afetadas. O governo federal já aprovou um novo Auxílio Emergencial que vale para todo o Brasil e aqui em Minas Gerais eu já solicitei para a Secretaria da Fazenda que avalie o que pode ser feito pelas empresas, principalmente as micro e pequenas empresas, que serão afetas agora neste mês de março.”

Além da possível ajuda financeira, Zema disse que pediu às empresas de energia e água que adotem procedimentos excepcionais de cobrança, diante do momento de crise enfrentado pelos comerciantes. “Que tenham um procedimento que atenda às pessoas que também forem atingidas nesse momento, que com certeza terão dificuldade de quitar seus compromissos.”

O governador ressaltou que pelo menos parte da ajuda deve vir do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Zema disse ainda que espera que o governo federal aprove um novo programa de manutenção do emprego. “Muitas pessoas que têm empregos formais vão ficar com o seu horário de trabalho comprometido durante a vigência dessas medidas restritivas.”

Em coletiva, Zema oficializou nesta terça-feira que todas as cidades do estado estão na Onda Roxa do programa Minas Consciente, a mais restritiva do plano. A medida visa aliviar o sistema de saúde e conter a disseminação do novo coronavírus. A fase, a princípio, tem duração de 15 dias.

 

Com Itatiaia

Postado originalmente por: Portal Sete

%d blogueiros gostam disto: