Obras do Anel Viário estão na reta final

Via ajudará no escoamento de produção

Uma obra há muito aguardada por Sete Lagoas e municípios vizinhos para ajudar no escoamento de produção local e que vai retirar o tráfego pesado de dentro da cidade está prestes a virar realidade.

A implantação e pavimentação do contorno rodoviário Norte/Sul de Sete Lagoas e MG-424 com extensão de 3,3 quilômetros, o chamado Anel Viário, está em fase final de construção.
A obra do governo do Estado inclui viadutos e pontes e já está 90% concluída. O anel ligará a MG-238 (estrada que liga Sete Lagoas a Jequitibá e Santana de Pirapama) à avenida Norte Sul e à MG-424 (estrada que liga Sete Lagoas a Pedro Leopoldo).

A obra teve início no dia 7 de agosto de 2013, foi paralisada em novembro de 2014 e reiniciada em julho de 2015. No momento, os trabalhos estão paralisados devido ao período de chuvas. O reinício está previsto para março.

O valor estimado da intervenção é de R$ 40,21 milhões, incluindo as desapropriações que foram necessárias para a realização do projeto, executado pela empresa Colares Linhares.

A obra consiste na construção do viaduto I sobre a Ferrovia Centro-Atlântica nas dimensões 90m x 13m; construção do viaduto II também sobre a Ferrovia Centro-Atlântica, nas mesmas dimensões; e a construção do viaduto III na MG-238 de 51m x 16,8m.

Colares Linhares/Divulgacao: Obras do Anel Viario em Sete Lagoas entra em fase final
Colares Linhares/Divulgacao: Obras do Anel Viario em Sete Lagoas entra em fase final
Colares Linhares/Divulgacao: Obras do Anel Viario em Sete Lagoas entra em fase final
Colares Linhares/Divulgacao: Obras do Anel Viario em Sete Lagoas entra em fase final
Colares Linhares/Divulgacao: Obras do Anel Viario em Sete Lagoas entra em fase final
Colares Linhares/Divulgacao: Obras do Anel Viario em Sete Lagoas entra em fase final

BENEFÍCIOS

Após a conclusão da obra, a expectativa é a de que haja redução do número de veículos de carga que passam dentro de Sete Lagoas, de forma a evitar congestionamentos e acidentes.
Para o prefeito Leone Maciel, presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Rio das Velhas (Amav), a obra é de extrema importância para a região e, logicamente para Sete Lagoas.

“Será uma importante rota para escoamento da produção de municípios vizinhos e do parque industrial onde estão empresas como Ambev, Iveco e OMPI. A integração regional é fundamental para o desenvolvimento das cidades que fazem parte da Amav”, disse o gestor.
Maciel ressalta ainda que Sete Lagoas ficará mais forte do ponto de vista de sua infraestrutura viária e posição estratégica. “Nossas grandes avenidas estarão interligadas, brevemente, com rodovias federal, como a BR-040, e estadual (MG-424) duplicadas”, finaliza o prefeito.

A assessoria de comunicação da Colares Linhares, empresa responsável pela construção e conclusão da obra, afirma que o tráfego de veículos ainda não está liberado, apesar da insistência de motoristas em transitar pelo local, removendo barreiras de proibição, e ressalta que isso pode acarretar danos aos veículos e condutores, além de multas.

A empresária Maria José Nogueira utiliza diariamente a MG-238 para seguir até a propriedade rural dela e ressaltou a importância da obra. “Sem dúvida vai trazer vários benefícios, principalmente desafogar não só o trânsito da MG-238, mas de avenidas como a própria Santa Juliana. Aguardamos ansiosos a conclusão da obra que, com certeza, vai reduzir o número de acidentes também”, disse.

Por Linda Martins

Postado originalmente por: Portal Sete

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: