Voluntários lavam as roupas sujas de lama dos bombeiros em Brumadinho

Após saírem sujos de lama da área quente, os bombeiros que atuam diretamente nas buscas dos corpos em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, agora contam com a ajuda de 21 voluntários para a lavagem das roupas. A iniciativa partiu da Convenção Batista Mineira, sediada em BH, que comprou 14 máquinas de lavar para realizar os trabalhos.

O diretor da convenção, Márcio Santos, explica que a ideia mobilizou voluntários de todo o país. “Nós vamos permanecer na região por um bom tempo. Ainda temos uma base em Mariana desde o rompimento da barragem de Fundão, com psicólogos e psiquiatras que fazem o atendimento dos atingidos. Em Brumadinho, a ideia é permanecer com essa ajuda de lavagem de roupas e ir identificando no decorrer dos dias as outras necessidades para continuar ajudando no que for preciso”, explica.

Os trabalhos começaram na noite de segunda-feira (28) e cerca de 200 bombeiros que, antes ficavam com as roupas sujas, entregam as peças após os trabalhos e as recebem de volta no dia seguinte, “limpinhas e cheirosas”. “Eu cheguei lá no dia seguinte ao rompimento da barragem e conversei com os bombeiros para ver como poderíamos ajudar. Aí vimos eles descendo dos helicópteros com as roupas sujas e nos oferecemos para o serviço. Conversando com alguns deles, percebemos ainda que nem todos tem outras mudas de roupas e acabavam utilizando as mesmas”, lembra.

Para os trabalhos, uma lavanderia foi montada no Templo Batista de Brumadinho. Além dos 21 voluntários atuando ali, outras quatro pessoas ficam responsáveis pela compra dos materiais da limpeza em Belo Horizonte e o transporte.

Os recursos, segundo Santos, são da própria convenção, com o apoio do Colégio Batista Mineiro. Para isso, a entidade mantém uma conta destinada a ações humanitárias. Entre os voluntários, não há só mineiros, mas também pessoas vindas de São Paulo, Rio e Brasília, entre outros Estados.

Após anunciar por vídeo a procura por voluntários para Brumadinho, Santos já contabilizava 400 pessoas cadastradas que tem interesse em ajudar de alguma forma.

Exemplo será reproduzido nacionalmente 

Segundo o secretário Nacional de Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, a partir desta ação em Brumadinho, o cadastro de voluntários será institucionalizado no país. “A partir deste exemplo, a Secretaria Nacional de Defesa Civil vai criar um cadastro de todos os voluntários no país que tem condições de prestar serviços deste tipo, para que possamos acioná-los e credenciá-los para ajudar em todos os desastres no Brasil”, explica.

Doação de meias e peças íntimas.

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) realizou, na tarde desta quinta-feira (31), a doação de 900 pares de meias e mais 900 peças íntimas para os profissionais que estão atuando diretamente com a lama em Brumadinho. Ainda conforme a CDL-BH, como essas peças não são ressarcidas pelo Estado e a recomendação é que elas sejam descartadas após o uso por causa da lama contaminada e das possíveis lesões na pele, os bombeiros acabam ficando sem ter como alterná-las.

*Com Hoje em Dia

Postado originalmente por: Portal Sete

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: