Praça Cesário Alvim pede socorro

Se olharmos para cima, vemos, na Praça Cesário Alvim, o cartão postal de Caratinga: árvores frondosas em meio às centenárias palmeiras imperiais, ipês coloridos, a torre da Catedral de São João Batista e, ao fundo, a Pedra Itaúna. Mas ao olharmos para baixo, vemos canteiros secos e sem flores – alguns até mesmo sem grama – piso irregular e com buracos, fiação elétrica improvisada passando pelas árvores, cães abandonados, andarilhos bêbados e drogados, garotas de programa… Tudo isso no coração da cidade, em meio à rotina do dia a dia de trabalhadores, estudantes e famílias que passam pelo local.

A praça que é o maior orgulho de Caratinga, imagem gravada com carinho na mente de quem teve que ir embora e inspiração para artistas, é hoje motivo de grande preocupação. Seria possível resgatar sua beleza e devolver a ela os ares de praça de interior com o ritmo atual da vida urbana?

Euler Batista é um dos muitos estudantes que passam pela Cesário Alvim todos os dias na ida e retorno da escola. A maioria deles ficou envergonhada quando pedimos opinião para esta matéria, mas Euler, do seu jeito adolescente, disse o que gostaria de ver.

Estudantes passam pela praça frequentemente


Paulo Afonso mora em Caratinga há muitos anos e sempre está na praça nas mesas de jogos de baralho – uma cultura antiga mantida principalmente por aposentados. Ele acha que a manutenção da praça tem melhorado, mas gostaria de ver o local com menos vândalos e andarilhos.

Há alguns anos a Feiraso, Feira da Assistência Social, era um evento aguardado pelas famílias. Várias barraquinhas com comes e bebes, artesanato e brinquedos para as crianças eram instalados na Cesário Alvim, sendo uma ótima opção de lazer. Nos últimos meses o número de barracas e de frequentadores diminuiu muito. Karine Silveira participa da Feiraso há vários anos com sua mãe e está entre os poucos que ainda persistem. Para ela a infraestrutura da praça precária.

A comerciante acredita que o ambiente atual da praça, frequentado por usuários de bebida alcoólica e drogas, está afastando as famílias.

Além de andarilhos, há mulheres que frequentam a Cesário Alvim para negociar programa sexual com clientes. Karine disse que já viu jovens e senhoras serem confundidas com prostitutas. Ela própria já passou por situação constrangedora. Tudo isso estaria contribuindo para a decadência da Feiraso.

O grupo de andarilhos que tem frequentado a praça ultimamente não estava no local de costume na manhã de hoje (02). Segundo Fabiana Aparecida Dutra Pires, alguns têm o hábito de usar droga durante o dia em outros locais e retornam à noite para dormir nos gramados. Fabiana é dependente de álcool. Afirmou que não usa droga, só bebe cachaça. Contou que tem casa, mas gosta de passar o dia na praça. Hoje ela estava acompanhada de duas filhas pequenas e em breve vai dar à luz ao quarto filho.

Fabiana não quis gravar entrevista sobre sua vida, nem falar da convivência com os andarilhos da Cesário Alvim. Porém pediu ajuda para outra frequentadora do local, uma jovem de 28 anos que estava desacordada em cima do banco de concreto de uma mesa de jogos. Bete já teve tuberculose e estava ferida nas pernas e no rosto por causa de um tombo.

O grupo de moradores de rua é formado predominantemente por pessoas de outras cidades e até de outros estados. Há dependentes químicos e de álcool, gente com passagem pela polícia e até com problemas psiquiátricos. É o caso de uma senhora chamada Imaculada. Nos disseram que a família dela é de Caratinga, mas ela está sempre na praça. Hoje, Imaculada estava desolada, porque nessa segunda-feira (1º) os andarilhos roubaram dela mais de R$ 800,00 – dinheiro que teria recebido do seguro DPVAT.

Bete (deitada) Imaculada, um morador de Santa Bárbara que agora está na praça e “Baiano”

Uma breve passagem pela praça Cesário Alvim, a “Praça das Palmeiras”, rende muitas matérias. A maioria delas, infelizmente, lamentáveis. Nos próximos dias vamos voltar a abordar o assunto ouvindo os planos da Prefeitura de Caratinga para o cartão postal do município e como o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico tem acompanhado o problema. Para falar sobre os andarilhos e garotas de programa, vamos conversar com assistente social e ouvir as instituições de apoio que existem no município. Sobre a segurança no local, ameaçada pela presença de infratores e pessoas com comportamento alterado, traremos informações e orientações da Polícia Militar.

A praça Cesário Alvim pede socorro e o jornalismo da Cidade FM está atento.

 

Postado originalmente por: Rádio Cidade – Caratinga / MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: