Atraso de salários dos professores do José Ferreira deve parar na Justiça

Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro/Minas) cobra soluções quanto à falta de pagamento de parte dos salários de março e abril dos professores da Rede Cnec (Campanha Nacional de Escolas da Comunidade). Hoje acontece reunião por videoconferência entre professores e sindicato para discutir as medidas cabíveis, não sendo descartado o ajuizamento de ação coletiva pelo atraso nos salários.

Conforme o diretor do Sinpro/Minas, Marcos Gennari Mariano, o problema atinge profissionais do Colégio Doutor José Ferreira em Uberaba. Segundo ele, a Rede Cnec se utiliza do estado de calamidade pública, decretado no dia 19 de março, para justificar os problemas financeiros nas unidades mineiras. Segundo ele, a medida não se justifica, pois este momento está fazendo com que professores se dediquem muito para promover aulas a distância. “Todos passam por dificuldades, mas não podemos aceitar esta situação”, afirma.

Além da reunião, uma assembleia geral, também por videoconferência, está sendo convocada para a próxima quinta-feira (14), com indicativo de greve. No entanto, o sindicalista afirma que o Sinpro/Minas tem muita responsabilidade em buscar negociação entre as partes para minimizar a situação. “Estamos abertos à negociação, pois temos clareza que as instituições também estão atravessando dificuldade”, finaliza.
 

Postado originalmente por: JM Online – Uberaba

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: