Cerca de 10 mil candidatos realizaram a segunda etapa do Enem em Uberaba

Foto/Fábio Braga

Pais e candidatos aguardam saída de participantes na porta da Universidade de Uberaba – Uniube

No domingo (10), aproximadamente 10 mil candidatos em Uberaba estavam habilitados para participarem do segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em Minas Gerais, de acordo com o MEC, 534.648 candidatos se inscreveram para participar do Exame. A maioria é composta por mulheres, totalizando 323.611 candidatas. A faixa etária predominante está entre os 21 a 30 anos, com mais de 143 mil inscritos. Mais uma vez, os locais de prova ficaram bastante movimentados a partir do meio-dia, uma hora antes do horário de abertura dos portões.

Houve casos de candidatos, em Uberaba, que chegaram ao local de prova duas horas antes da abertura dos portões. A exemplo do primeiro dia, não houve relatos de problemas antes ou durante a aplicação das provas na cidade.

De acordo com relatos de candidatos, as provas trouxeram questões que abordaram aplicativos de namoro, como o Tinder, a forma como pessoas daltônicas enxergam e tribos nômades do sudeste asiático. Até mesmo um trecho da música Eduardo e Mônica, da banda Legião Urbana, apareceu em uma das questões. Os candidatos responderam a 90 questões de matemática e ciências da natureza.

Na prova de química, depois de dar o exemplo de uma cozinheira que tinha colocado batatas dessalgadas numa panela de feijão, a pergunta pedia para identificar por que as batatas tinham ficado salgadas ao serem retiradas da panela.

Em biologia, apareceram ainda temas como ecologia, doenças e genética. Uma das questões pedia ao candidato para indicar uma opção de controle biológico para pragas na agricultura em alternativa ao uso de agrotóxicos.

A partir das 15h30, os candidatos puderam deixar o local do exame. Foi permitido levar o Caderno de Questões a partir das 18h. O exame terminou às 18h30, porém os participantes que realizam o Enem por videoprovas em Língua Brasileira de Sinais (Libras) tiveram duas horas adicionais, isto é, até 20h30 para terminar.

No sábado (9), a Polícia Federal (PF) cumpriu em Fortaleza (CE), mandados de busca e apreensão nas residências de duas aplicadoras de provas do Enem ocorridas no último fim de semana. A corporação chegou aos nomes das aplicadoras após levantamento realizado em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A ação ocorreu no âmbito da Operação Thoth, criada para investigar supostas irregularidades na realização do Enem.

Pelo Twitter, um pouco antes do início das provas, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou um vídeo no qual disse que tudo estava "dentro do esperado, sem nenhum problema", e acrescentou: "Tudo sob controle, sem absolutamente nenhum problema acontecendo no Brasil todo". 

Divulgação da prova em redes sociais não causou dano ao Enem, diz ministro

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que a divulgação da prova do Exame Nacional do Ensino do Médio (Enem) em redes sociais antes do término da aplicação neste domingo, 10, não causou danos. Os responsáveis, declarou, serão punidos. Weintraub classificou como "terrorismo" o vazamento da prova no primeiro dia do teste, no último domingo, 3.

De acordo com o ministro, os responsáveis pela divulgação do segundo dia foram candidatos e não aplicadores. Houve registro de boletins de ocorrências para notificar o caso. "O dano disso foi zero", afirmou Weintraub. "Isso é um trouxa. É um babaca", classificou o ministro, em referência a quem divulgou. "Tem que punir essas pessoas de forma exemplar para saber que uma ação danosa para prejudicar o coletivo não sai impune."

O ministro ainda afirmou que os responsáveis vão ter que explicar o caso "pelo resto da vida" e negou que tenha sido um "vazamento" porque não teria saído da estrutura do Enem. "Vai ser preso? Não. A gente não consegue nem prender ladrão contumaz, manter preso um ladrão contumaz… não vou polemizar", comentou o ministro, sem citar nenhum nome específico. Na sexta-feira, 8, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a prisão após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

‘Terrorismo’

Ao comentar o vazamento da prova no domingo anterior, dia 3, o ministro classificou como "terrorismo" de "militantes" o comportamento de duas aplicadoras acusadas de vazarem o conteúdo A Polícia Federal investiga o caso. Weintraub comentou que uma delas "talvez seja inocente" e que outra é "culpada". "O que ela tentou fazer foi terrorismo. Isso se chama terrorismo, colocar terror na sociedade civil", comentou.

Weintraub apontou para uma estrutura maior que teria planejado o vazamento. "Pessoas adultas recebendo para fazer a prova planejaram essa ação. Não foi piada, gracinha, foi sabotagem, foi para causar mal-estar da sociedade", comentou, respondendo mais tarde que cabe à polícia esclarecer as informações.

Dados

O Inep divulgou que dos 5.095.388 inscritos, 3.709.809 fizeram a prova no segundo dia de aplicação, ou seja, um índice de 72,81% de presença e de 27,10% de ausência. Na semana passada, primeiro dia do teste, o porcentual de ausentes foi de 23,1%.

De acordo com o ministro da Educação e o presidente do Inep, Alexandre Lopes, essa foi a menor abstenção para o segundo dia de prova da história do Enem. "Tivemos o melhor Enem de todos os tempos", disse Weintraub, que ainda destacou que não houve "ideologia" na prova.

Entre os candidatos, 371 foram eliminados. De acordo com o Inep, os principais motivos foram por portar equipamento eletrônico, ausentar-se antes do horário permitido, utilizar materiais impressos, não atender às orientações dos fiscais, entre outras.

Por Daniel Weterman / Agência Estado

Postado originalmente por: JM Online – Uberaba

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: