Doulas contestam proibição para acompanhar partos por hospitais

Foto/Reprodução

Doulas uberabenses questionam o impedimento de assistir gestantes no parto dentro de hospitais da cidade. Isso porque a medida contraria a Lei Municipal 12.338/2016, que assegura o direito da doula entrar nos hospitais para acompanhar a parturiente. Para reverter a situação, um grupo de doulas – profissionais encarregadas de dar o suporte físico e emocional antes, durante e após o parto às gestantes – encaminhou ofício ao prefeito Paulo Piau, ao secretário de Saúde, Iraci Neto, e membros do Comitê Técnico-científico de Enfrentamento à Covid-19.

De acordo com a doula Gabriela Nascimento Milhorin, o impedimento começou com a pandemia, embora nem todos os hospitais autorizassem a entrada das doulas. A atual proibição se baseia no argumento de evitar aglomeração de pessoas na sala de parto. Porém, ela informa que as profissionais trabalham com a assistência ao parto e esta participação é um direito da grávida. Além disso, não são em todos os procedimentos que há a participação da doula, bem diferente da realidade de outras cidades, onde parturientes têm acesso maior às assistentes de parto. “Aqui ainda são poucas que utilizam nossos serviços. De cinquenta a setenta partos realizados no município, apenas dois contam com a presença de doulas”, diz.

Gabriela Milhorin explica que, em alguns hospitais, a parturiente está sendo obrigada a escolher entre o acompanhante ou a doula. Porém, a presença de um, conforme explica, não impede a do outro, visto que o acompanhante da parturiente também tem direito garantido previsto na Lei Federal 11.108 /2005. Para ela, a não-autorização da entrada das doulas nos hospitais é considerada um “retrocesso”. Gabriela informa que as doulas têm papel importante ao longo de toda gestação, durante o parto e pós-parto – reduzindo riscos de complicações.

Em tempos de pandemia, todo trabalho é feito através de atendimentos online e consultas presenciais junto à gestante e à família, tomando os cuidados necessários, com uso de máscaras de proteção, lavagem das mãos com frequência e álcool em gel. Além disso, o serviço da doula reduz o tempo de internação e a exposição no ambiente hospitalar da mãe e do bebê, o que é o ideal em tempos de Covid-19.
 

Postado originalmente por: JM Online – Uberaba

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: