Falta de estrutura escolar e problemas nas matrículas impedem retomada de aulas, avalia Sind-UTE

Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) avalia como irresponsabilidade anúncio da Secretaria de Estado de Educação, sobre o início da transmissão de aulas pela internet e pela televisão na próxima semana.

De acordo com a coordenadora regional do sindicato, Maria Helena Gabriel, a volta às aulas pode causar aglomerações, tendo em vista que os professores e diretores não podem fazer todo o trabalho remotamente e precisam sair às ruas para realizar as atividades. “A ordem agora é a preservação da vida e não o culto à morte. O governo está desrespeitando uma liminar do TJMG e vamos fazer uso dela para que essas aulas não sejam retomadas. Flexibilizar a educação nesse momento nos aproxima demais casos positivos da Covid-19 e falamos isso com base nos dados que são divulgados diariamente pela Saúde”, explica.

Além dos riscos à exposição dos profissionais da educação, a coordenadora também pondera sobre a estrutura apresentada do projeto Se Liga na Educação, que terá teleaulas ao vivo pela Rede Minas entre 7h30h e 12h30. O conteúdo também será disponibilizado nas redes sociais Facebook e Instagram.

“As escolas não têm suporte para atender às determinações do Estado, a essa flexibilização, porque as escolas não estão preparadas. Nem todos os alunos têm computador em casa e professores enfrentam igual problema, não só de falta de equipamento, mas também de falta de internet. Então como essas aulas serão viabilizadas? Isso nos entristece e nos aborrece, porque essa é uma das realidades de nossa Minas Gerais, alguns terão aulas e outros não”, pontua.

Ainda segundo Maria Helena, um outro problema é que as matrículas deste ano não foram concluídas. “As matrículas online ainda são um problema em todo o estado de Minas Gerais. Os alunos que não conseguiram se matricular nas escolas, os professores que não conseguiram pegar aulas porque não têm alunos, não por culpa da pandemia e sim por causa de um sistema novo que apontou instabilidade desde o início e nada foi resolvido. O Governo tem sido um verdadeiro desastre”. conclui.

A reportagem acionou a assessoria de imprensa da Superintendência Regional de Ensino para se manifestar sobre os apontamentos do Sind-UTE, mas até o fechamento da matéria, não obtivemos resposta. O espaço segue aberto à manifestação.

Postado originalmente por: JM Online – Uberaba

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: