Encontro
Uberaba e Região

Infestação do Aedes aegypti na cidade está em situação de alerta

Por: Rádio JM 730 AM 25/10/2017 0:30

Levantamento do Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de outubro de 2017 em Uberaba foi de 1,2%, considerado em situação de alerta. O resultado foi divulgado em coletiva de imprensa nesta terça-feira (24), quando também foram apresentados os índices por bairros.
Durante toda semana passada, os 140 agentes de combate a endemias fizeram vistoria em 7.040 imóveis. Na cidade, foram formados 14 estratos, e o que apresentou o índice mais alto foi o de número 4, de 2,3%, que abrange os bairros Santa Marta, Santa Maria, São Sebastião e Calixto Cecílio. Em seguida, vem o estrato 13, de 1,9%, que abrange o grande Boa Vista. Vale ressaltar ainda o estrato com o índice de 1,7%, que abrange bairros como Morada das Fontes, Abadia e Centro; e o estrato 10, de 1,5%, que engloba os bairros Estados Unidos, Cássio Rezende, Frei Eugênio e Flamboyant.
De acordo com o chefe de Vigilância em Saúde, Nelson Ranieri, não houve nenhuma surpresa quanto aos bairros que apresentaram índices mais altos. Nos levantamentos, normalmente, estão nestas condições, devido a maior densidade populacional e número de residências. Inclusive, já é desenvolvido trabalho nestes locais, e as ações serão intensificadas.
“Temos agentes em todas as regiões de Uberaba, mas neste momento vamos aumentar a quantidade de visitas nestes bairros. Vamos trabalhar em todo o Município atuando em três eixos principais, que são o trabalho de campo com as visitas domiciliares, mutirões de limpeza e o bloqueio feito quando há caso confirmado em determinada residência”, afirma o diretor.
Por sua vez, o secretário municipal de Saúde, Iraci Neto, explica que será mantido planejamento em todos os segmentos possíveis de atividades e ações, para prevenção, promoção e combate ao mosquito e uma retaguarda assistencial. “Estamos trabalhando e mobilizando todos os profissionais de Saúde da rede básica, ampliando a discussão e treinamento, bem como organizando as UPAs para que estejam aptas para receber algum caso”, diz.
Segundo Iraci, neste planejamento, o Hospital Regional estará inserido como retaguarda, atendendo casos que precisam de observação dentro de 48 horas, isto é, os casos críticos e possíveis diagnósticos de dengue. “Tenho que levar essa intenção de usar o HR ao Conselho Gestor, isso será tratado na reunião desta quarta-feira (25)”, afirma o secretário.

Postado originalmente por: JM Online

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: