Presidente da Aciu defende cassação de alvarás dos estabelecimentos que descumprem as medidas sanitárias

Desde a manutenção da Onda Roxa, e depois o recuo para a Onda Vermelha, a Prefeitura de Uberaba flexibiliza o setor comercial e permitiu a abertura das portas, em tentativas de fomentar a economia local. Contudo, a ação é constantemente ameaçada pela disseminação acelerada da covid-19 no município. 

Para evitar a volta das restrições mais rígidas, o presidente da Associação Comercial Industrial e de Serviços de Uberaba (Aciu), Anderson Cadima, sugere fiscalização com afinco nos estabelecimentos que atuam de forma irregular, bem como a punição com máximo rigor.

“Uma das principais questões seria a fiscalização. A gente vê que festas clandestinas são o motivo do maior índice de contaminação. O isolamento social é para evitar esse tipo de festa, pra pessoa sair de casa só para o necessário, e a fiscalização nesse momento é super importante. Tem que ser criteriosa, se possível cassar o alvará de funcionamento do estabelecimento irregular. Quem descumprir deve ser punido”, declara Anderson.

Além disso, o representante do setor comercial afirma que se as restrições voltarem, a violência e a fome acompanharão. Desta forma, é preciso que a população auxilie o agente fiscalizador e denuncie, de forma clara, possíveis irregularidades.

Cadima também analisa a instabilidade do momento. O “abre e fecha” do mercado seria um dos maiores temores dos empresários, já que é mais fácil realizar o planejamento baseado em decisões criteriosamente exatas.

“Essa instabilidade é que deixa qualquer empresário doido. Não sabemos o que podemos fazer, o que podemos comprar, estocar. Algumas empresas fecharam e não voltam mais. Se fechar tudo de novo, a violência vai aumentar, a fome vai aumentar”, avalia Anderson.


 

Postado originalmente por: JM Online – Uberaba

%d blogueiros gostam disto: