Próximo decreto municipal poderá reabrir academias e clínicas

Fechadas desde o mês de março, academias amargam perdas de receita com o distanciamento social obrigatório em Uberaba. Com as academias proibidas de abrir, profissionais de educação física têm orientado alunos pelas redes sociais.

Rafael Gomes, empresário do ramo de academias, conta que a situação é insustentável. “Já tentamos falar com o município. Sabemos que o vírus propaga muito rápido e já demonstramos inclusive alternativas para evitar as aglomerações no interior dos estabelecimentos, mas até o momento não obtivemos retorno e compreendemos que o momento é de cuidado”, destaca.

Atendendo aos anseios de profissionais da educação física e de outros setores, na semana passada o vereador Alan Carlos pediu ao município uma avaliação para que academias de ginástica, estúdios de personal, estúdios de pilates, box crossfit e similares e os consultórios odontológicos, clínicas, laboratórios de próteses e clínicas de radiologia odontológica possam reabrir com base em critérios técnicos e científicos, obedecendo os cuidados estabelecidos pelas órgãos de saúde.

“Estamos aguardando um posicionamento da Prefeitura para que seja criado um protocolo por parte do município a fim de garantir as atividades destes profissionais. Há uma expectativa de que, guardados os cuidados, todos possam voltar a trabalhar. Pedimos uma avaliação dentro dos padrões para ver o que pode ser feito, mas ainda não tivemos retorno”, explica o vereador.

Questionado sobre o assunto, o município aponta que tudo está sendo avaliado até que imbróglio na Justiça em torno do funcionamento dos estabelecimentos seja solucionado.

Em entrevista à Rádio JM nesta semana, o procurador-geral do município, Paulo Salge, destacou que, no momento, estão suspensas as discussões sobre alterações no decreto em vigor, mas que existe uma prospecção para o futuro. “Entendemos que de um lado tem o vírus, a doença e do outro temos as necessidades. Conforme o município vem pautando seus atos, tem que ser disciplinado de forma muito cadenciada, criteriosa, respeitando as normas da Organização Mundial da Saúde, é isso que está sendo tomado de decisão sempre em compartilhamento com o Ministério Público e com segmentos da sociedade”, explicou o procurador.

Na última terça-feira (5) uma liminar da Justiça Federal apontou descumprimento por parte do município de ordem judicial ao publicar novo decreto, que permitiu reabertura do comércio no dia 17 de abril, e obriga a Prefeitura a apresentar relatório técnico que embase a flexibilização das regras adotadas na cidade, sob pena de multa e incorrer ao crime de desobediência. A sentença também determinou ao município que não seja adotada nenhuma nova medida que permita o funcionamento de serviços não-essenciais.

 

Postado originalmente por: JM Online – Uberaba

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: