Atleta de São José dos Salgados é convocada para a Seleção Brasileira de Vôlei para surdos

A atleta Letícia Aparecida Quadros Faria, de 28 anos, recebeu a convocação para a seleção brasileira de vôlei para surdos, ela é de São José dos Salgados, e disputará os Jogos Surdolímpicos de Samsun (Turquia, entre os dias 18 e 30 de julho de 2017.
 
 
Filiada à Federação de Voleibol de São Paulo, ela foi convocada oficialmente pela Confederação Brasileira de Desportos para Surdos (CBDS). “Minha expectativa era enorme para fazer parte da equipe brasileira, estou ansiosa pela oportunidade de participar de um evento tão importante e grandioso. Desde o ano passado, venho me preparando para isso, realizando treinamentos específicos e atividades físicas de fortalecimento em academia, essa convocação vem para coroar todo o esforço desempenhado nesse período”, comemorou a atleta.
 
Enquanto as seleções brasileiras masculina e feminina de vôlei batalhavam na Olimpíada 2016, de casa a atleta Letícia Quadros assistia atenta a cada jogada. E em pouco menos de dois meses, ela também terá a chance de viver o seu sonho olímpico. Essa será a primeira vez que Letícia, defenderá a camisa da seleção brasileira.
 
A convocação, foi por acaso. Foi em uma competição realizada no Rio de Janeiro no ano de 2016, que surgiu a oportunidade para Letícia Quadros. “Uma integrante da seleção (para surdos) me viu jogando vôlei e usando meus aparelhos auditivos. Conversou comigo e com minha mãe, após isso me convidou para participar das seletivas”, lembra Letícia.
Os atletas surdos possuem um campeonato mundial exclusivo, a Surdolimpíada, cuja edição internacional acontecerá entre os dias 18 e 30 de julho de 2017, em Samsun, na Turquia. A falta ou dificuldade de audição não é considerada um limite para que uma pessoa participe de disputas convencionais e, por isso, equipes de surdoatletas não competem em paralimpíadas, segundo normas do Comitê Internacional Paralímpico.
 
Disputados desde 1924 (Paris, França), o Brasil participou pela primeira vez do evento somente em 1993 (Sofia, Bulgária), quando só representantes da natação estiveram presentes. Em toda sua história, o país possui cinco medalhas, sendo três na natação, uma no judô e uma no karatê.
 
Além dessas modalidades, o atletismo, badminton, basquete, boliche, ciclismo, futebol, lutas, orientação, tênis, tênis de mesa, tiro, vôlei e vôlei de praia fazem parte do programa do Comitê Internacional de Desportos para Surdos (ICSD, em inglês). As regras adotadas pela ICSD são as mesmas do Comitê Olímpico Internacional (COI), alterando apenas a arbitragem das disputas, que usam frequentemente sinais luminosos e gestuais.
 
Letícia agora corre contra o tempo para conseguir recursos. A CBDS não recebe apoio do Governo Federal e cada atleta precisa arcar com suas próprias despesas, despesas essas que inclui inscrição, alimentação, hospedagem, uniformes e passagens aéreas. Ao todo, Letícia precisará de um valor entre 9 e 12 mil reais.
 
Uma campanha na internet foi lançada (https://www.kickante.com.br/campanhas/surdolimpiadas-samsun-turquia-2017) e dessa forma pretende arrecadar pelo menos uma parte do total.

Postado originalmente por: Minas AM/FM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: