Luís Otávio vive uma grande história

Todo e qualquer repórter vive em busca de uma grande história para contar. É assim, as vezes narra fatos, se prende as informações e dados técnicos, deixa o leitor tirar as próprias conclusões, mas o espírito anseia uma grande história. O marco da história de Luís Otávio, 17 anos, zagueiro que hoje defende o Guarani de Divinópolis, é a certeza que o esporte cumpriu nele todas as promessas.

Ao ingressar em uma modalidade esportiva, muitas vezes motivado pela família, o objetivo é ganhar qualidade de vida. Saúde, educação, lazer e todos os benefícios. Luis é de uma família toda ligada ao futebol, especialmente os primos, junto com os quais obviamente cresceu ao lado de bola e do gol. Mas a atividade por lazer não foi suficiente, ele então ingressou no Flamengo do Mendes Mourão.

A superação dele foi quieta, calada, sem alarmes ele foi conquistando espaço, aumentando a potencialidade e quando se viu ele era de fato um atleta de futebol. Acredito que se abriu os olhos quando ele entrou na equipe Imef, quando mais se precisava ele atuava e se destacava como volante e zagueiro. Ganhou a confiança dos colegas, pois ele já tinha em mente e em plena execução um plano. Este projeto não era apenas para jogar futebol, mas um proposito de ser uma marca histórica.

Ali acabava os conceitos e preconceitos. Nascia o atleta cobrado. Já não bastava as transformações do corpo, ele tinha de ir mais longe, e a evolução dele a cada jogo rendeu não apenas a titularidade, mas a faixa de capitão e o reconhecimento. Nesse ponto ele decidiu para sempre ser atleta de futebol. Quem o conheceu sabe o quanto ele persegue aquilo que deseja. Quem o conhece hoje, saiba que não teve uma vida fácil.

Luís Otávio de Castro Almeida, 17 anos, 1,81m e 74kg. Ele esteve nos estúdios do Sistema MPA para avaliar o ano de 2016, e as expectativas para 2017. Falou sobre todas as conquistas, pessoais e ao lado dos colegas. “Para mim foi o ano mais importante, tanto para o futebol quanto na vida pessoal, pude realizar sonhos, ser reconhecido dentro e fora do futebol. O Guarani é fruto de um trabalho que venho batalhando sempre e pude ter essa oportunidade que muitos queriam ter. Tive suar bastante e correr atrás”, contou.

Logo ele lembrou os tempos de Flamengo, também não teve vida fácil o. “Não foi mil maravilhas, no começo quando cheguei lá não tinha oportunidades e graças a muito trabalho fui reconhecido. Com Alessandro e Vanderlan entrei no caminho certo. Mudei demais, fisicamente e também no psicológico e amadurecimento”, relembrou.

As batalhas vencidas tem semelhanças, mas o resultado de uma amplia o de outra. Se por um lado conquistou espaço no Flamengo, este se multiplicou ao conseguir entrar para o seleto time do Guarani. “Ainda se pensarmos nos times da cidade, tem muitos atletas de qualidade, não apenas em uma posição, tive de batalhar bastante”, considerando o menino que chegou no Mendes Mourão a zagueiro do Guarani foi uma evolução astronômica.

Evolução essa que passou por etapas, crescimento, discernimento, e isso vem de encontro naquele jogador que é a inspiração dele. Thiago Silva enfrentou na vida problemas graves e seguiu, conquistando o espaço dele. Vale lembrar que o atleta do Paris Saint-Germain, de infância pobre, renegado em vários clubes, venceu e construiu uma carreira. Mas essa não foi a única vitória dele, ainda teve uma tuberculose a ser vencida, a doença (grave) não conseguiu abater ele. Deu a volta por cima mais uma vez. Essa superação ao lado da posição jogada o torna inspiração para Luís. “Sou fã, do trabalho, pelo que ele já passou para estar onde ele está, da pessoa que ele é, da batalha dele e a pessoa que ele é para o futebol”, afirmou.

Para ele o futebol por brincadeira também ficou no passado. Hoje é coisa séria e ele o quer como profissão. “ Um sonho que tenho a realizar, temos muito a oferecer para o futebol da cidade, estado e Brasil. Temos jogadores bons e poderia ser vista com mais carinho, jogamos contra os dois finalistas da Imef, estamos no mesmo nível deles ou superior, perdemos nas bobeiras. Se tudo der certo vou jogar futebol e estudar”, garantiu.

Também deixou um recado para aqueles atletas que serão convidados a ingressar no Guarani no ano de 2017, segundo Luís é uma oportunidade e não deve ser desperdiçada. “Oportunidade aqui não é fácil, não tem patrocínio e nem pessoas para ajudar ou encaixar em algum lugar”.

luis-otavio

Portado originalmente em: http://www.sistemampa.com.br/esporte/categoria-de-base/luis-otavio-vive-uma-grande-historia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: