Presidente do América questiona a CBF sobre arbitragem.

A entrevista do técnico Lisca, protocolar depois dos jogos do América, não aconteceu após a derrota para o Cruzeiro, no clássico da Série B dessa quarta-feira. O motivo é a revolta que o clube ficou contra a arbitragem de Dewson Freitas. Na visão do Coelho, o juiz deixou de marcar um pênalti a favor do time alviverde e assinalou um não existente para a Raposa. Ao fim do jogo, o presidente Marcus Salum e o diretor de futebol Paulo Bracks protestaram.

Salum afirmou que é “desanimador” trabalhar no futebol e prometeu ir novamente à CBF protestar contra a atuação dos árbitros diretamente com o presidente da entidade, Rogério Caboclo. Já Paulo Bracks fez um pronunciamento institucional lançando a seguinte pergunta: “A pergunta que faço, em nome do clube, é porque o América foi punido e desrespeitado pela arbitragem hoje no Independência?”.

“Alguma coisa tem, pois não é possível. Ele perturbou o jogo todo e o América não conseguiu jogar. Ele (árbitro) destruiu o jogo de uma forma que parecia que ele veio pra isso” (Marcus Salum)

Na visão de Salum e Bracks, o América vem sendo prejudicado pela arbitragem em jogos passados. O Coelho segue como vice-líder do Brasileiro da Série B, mas agora, distante em seis pontos da líder Chapecoense.

“É muito desanimador para um dirigente ver o que aconteceu hoje no Independência. Um juiz do nível desse senhor ali, vir até Belo Horizonte, não dar um pênalti claro que o Brasil todo viu e dar um pênalti pra eles que o Messias nem encostou no jogador, tirou a perna e o jogador pulou em cima do Messias” – disse Salum.

As principais reclamações do Coelho são em dois lances no início da partida. Primeiro, houve um toque do braço do volante Adriano, do Cruzeiro, na bola, dentro da área do próprio time. Porém, é possível perceber uma falta não marcada em Manoel segundos antes do lance. Depois, houve um pênalti marcado de Messias em William Pottker, que abriu o placar a favor do time celeste, em cobrança de Rafael Sobis.

O técnico Lisca foi expulso da partida por reclamar da arbitragem, ainda na primeira etapa. Bateu palmas irônicas e disse “parabéns” várias vezes em direção à equipe do apito. Além disso, perguntou a um dos auxiliares se ele conseguia dormir à noite. No fim do jogo, estava sem condições de falar.

“Meu treinador não tem condições de vir aqui. Já reclamou com razão em jogos passados, Cuiabá, Juventude, Oeste, Ponte Preta. Confrontos que houve, ao nosso ver, inequívocos erros de arbitragem. Conversamos na CBF, enviamos ofício. Hoje, a manifestação institucional do América é essa: por que o América está sendo punido pela arbitragem? Aconteceu isso aí aqui hoje, e o Brasil todo viu. Não tem coletiva, treinador não vai vir aqui. Nosso vestiário está em repúdio e revolta com o que aconteceu hoje” – disse Paulo Bracks, diretor do América.

 

O post Presidente do América questiona a CBF sobre arbitragem. apareceu primeiro em Portal MPA.

Postado originalmente por: Minas AM/FM

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: