Papa Francisco identifica o diabo nas resistências que enfrenta para fazer mudanças na Cúria Romana

O Papa Francisco lamentou, hoje, a existência de “resistências malévolas” contrárias à reforma da Cúria Romana e que se escondem nas tradições. Acrescentou que a reforma “não tem finalidade estética” e não pode ser entendida como “uma espécie de avivamento, maquiagem ou truque para embelezar o velho corpo curial, e nem mesmo como uma operação de cirurgia plástica para tirar as rugas”.

DIABO

Para Francisco, a reforma “será eficaz única e exclusivamente se for implementada com homens ´renovados´ e não apenas com homens ´novos´”. O Papa reconheceu alguns tipos de resistências à reforma: “as resistências abertas, que nascem muitas vezes da boa vontade e do diálogo sincero; as resistências ocultas, que nascem dos corações assustados ou empedernidos que se alimentam das palavras vazias da hipocrisia espiritual e as resistências malévolas, que germinam em mentes doentes e aparecem quando o diabo inspira más intenções (muitas vezes disfarçadas sob pele de cordeiros)”.

RUGAS

“Amados irmãos, não são as rugas que se devem temer na Igreja, mas as manchas!”, asseverou. Destacou que para fazer a reforma não basta “mudar o pessoal, mas é preciso levar os membros da Cúria a renovar-se espiritual, humana e profissionalmente”.

Postado originalmente por: 93 FM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: