28 Congresso
Muriaé e Região

Diretora de Vigilância em Saúde Ambiental fala sobre “fumacê” e limpeza do Rio Muriaé

Por: Rádio Muriaé 18/10/2017 11:48

Diretora de Vigilância em Saúde Ambiental fala sobre “fumacê” e limpeza do Rio Muriaé
Carla Morcef abordou os assuntos em entrevista nesta quarta-feira (18)

Na região da ponte que liga o bairro Porto a BR-356 há vários peixes mortos

Próximo a Casa de Saúde as gigogas cobriram completamente o leito do rio Muriaé

Limpeza na região central começa nesta quarta (18)

Apesar das gigogas e poluição há várias garças ao longo do rio Muriaé

A mudança brusca de temperatura e os fatores ambientais da região são os principais motivos para o alto índice de mosquitos em determinadas áreas do município assim como a infestação de gigogas (popularmente chamadas de igarapé) ao longo do rio Muriaé.

A explicação técnica foi dada pela Diretoria de Vigilância em Saúde Ambiental de Muriaé, Carla Morcef, em entrevista ao comunicador Paulo de Souza na manhã desta quarta-feira (18) na Rádio Muriaé.

(Assista o vídeo acima)

Em função das constantes reclamações de ouvintes que chegam a emissora sobre o aumento de mosquitos em vários bairros e distritos, Carla explicou que o fenômeno acontece em função da elevação da temperatura após um longo período frio.

A Diretoria de Vigilância em Saúde Ambiental de Muriaé explicou que o fumacê que não é uma medida de prevenção. Ele é utilizado para matar os mosquitos alados e o ciclo dura apenas cinco dias.

Carla destaca que 90% dos focos dos mosquitos Aedes Aegypti, por exemplo, estão dentro das residências e devem ser combatidos pelos próprios moradores.

Quanto a limpeza do Rio Muriaé, Carla explicou que o trabalho será retomado hoje (18) com foco no trecho próximo a Casa de Saúde Santa Lúcia, que segundo ela, exige uma atenção maior. Após concluído o trabalho naquela região as ações voltam a se concentrar na região do Dornelas.  

Após receber reclamações de mau cheiro em alguns pontos do Rio Muriaé e nesta terça-feira (17) a reportagem da Rádio Muriaé registrou uma considerável quantidade de peixes mortos em alguns pontos do rio, principalmente próximo a ponte que liga o bairro Porto a BR-356. Em diversos destes pontos também foram encontrados lixos e entulhos.

Visitas dos agentes às residências

Carla Morcef alertou que as visitas domicialres dos agentes de endeminas estão mais constantes e pede aos muriaeenses que abram as portas para as vistorias. Os servidores estão devidamente identificados com uniformes e crachás, mas em caso de dúvida o morador pode entrar em contato com o setor pelo telefone (32)  3729-1301

Texto: Rádio Muriaé – reprodução na íntegra ou parcial do conteúdo (texto e imagem) permitida somente mediante crédito.

Fonte : Rádio Muriaé

Postado originalmente por: Rádio Muriaé

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: