Lideranças dizem que vão orientar motoristas a encerrar greve após publicação das medidas no Diário Oficial

Lideranças dizem que vão orientar motoristas a encerrar greve após publicação das medidas no Diário Oficial
(Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Em pronunciamento na noite deste domingo, o presidente Michel Temer cedeu aos pedidos dos caminhoneiros e anunciou cinco pontos para atender às reivindicações da categoria, que protesta há uma semana contra os impostos cobrados nos combustíveis. Dentre as propostas está a redução de R$ 0,46 no preço do diesel – valor próximo do pedido que citava valores entre R$ 0,40 e R$ 0,60. De acordo com Temer, a queda corresponde aos valores do PIS/Confins e Cide somados.

O corte no preço do diesel valerá por 60 dias. Após o período, os ajustes serão mensais e não mais diários como ocorria até o início do protesto.

Além disso, Temer também anunciou que serão editadas medidas provisórias para a criação da tabela mínima de frete e para a isenção de pedágio em caminhões com eixos suspensos, ou seja, que estejam vazios, nas rodovias federais, estaduais e municipais.

Ainda de acordo com Temer, os caminhoneiros autônomos terão garantia de 30% dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

"Essa redução corresponde aos valores do PIS/Cofins e da Cide somados. Para somar esses 46 centavos, o governo está assumindo sacrifícios no Orçamento", disse o presidente Temer em pronunciamento no Palácio do Planalto. 

Além do custo de redução dos impostos, o governo também arcará com eventuais prejuízos da Petrobras. "Obviamente, vamos honrar sem nenhum prejuízo para a Petrobras. A Petrobras recuperou-se nos últimos dois anos e não é possível criar dificuldade operacional ou de recursos", disse Temer.

"Os efeitos dessa paralisação na vida de cada cidadão me dispensam de citar a importância da missão nobre de cada trabalhador no setor de cargas. Durante toda esta semana, o governo sempre esteve aberto ao diálogo e assinamos acordo logo no início. Confirmo a validade de tudo que foi acertado", completou o presidente.

Com os anúncios, a expectativa do Palácio do Planalto é que a paralisação dos caminhoneiros, que já dura uma semana, chegue ao fim.

Confira as medidas prometidas pelo governo após negociação com caminhoneiros:

– Redução de R$ 0,46 no litro do diesel

– Preço será mantido por 60 dias. Depois, ajustes serão mensais

– Medida provisória será editada para isenção de pedágio em caminhões com eixos suspensos (que estejam vazios) nas rodovias federais, estaduais e municipais

– Caminhoneiros autônomos terão garantia de 30% dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

– Medida Provisória estabelecerá tabela mínima de frete, em análise no Senado Federal

 

Fonte : Rádio Itatiaia

Postado originalmente por: Rádio Muriaé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: