Polícia Civil conclui inquérito de homicídio de Leandro Cataldo e indicia irmão da vítima e mais dois comparsas

Polícia Civil conclui inquérito de homicídio de Leandro Cataldo e indicia irmão da vítima e mais dois comparsas
Foto: Arquivo Rádio Muriaé

 A Polícia Civil concluiu a investigação sobre o homicídio de Leandro Guimarães Cataldo de 50 anos. O corpo foi encontrado no dia 19 de fevereiro deste ano às margens do Rio Glória, na estrada de acesso a comunidade  de Patrimônio dos Carneiros, já em estado de decomposição, enrolado a um saco plástico e preso em vigas de concreto, que tinham o objetivo de mantê-lo submerso.

Durante as investigações, três pessoas foram indiciadas e tiveram a Prisão Preventiva requerida, entre eles, o próprio irmão da Vítima, um homem de 43 anos que, segundo a investigação, foi o mentor intelectual do crime. Além dele, outros dois homens, um de 22 e outro 23 anos também teriam participado na execução de Leandro. As investigações apontam que a vítima foi morta com a golpes de enxada.

De acordo com a apuração conduzida pela Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa – DHPP, da 4a DRPC, Leandro foi executado na noite de 12 de fevereiro, sete dias antes de ter o corpo encontrado com marcas de afundamento craniano.

Os dois homens que participaram da execução, receberam a promessa de lucrar até R$ 80 mil com a venda de bovinos, oferecidos pelo irmão da vítima, que pretendia se valer dos animais do próprio Leandro para pagamento.

Os jovens simularam a contratação de um frete até uma propriedade rural de um deles. No local, depois de ainda ajudar a descarregar os pertences, Leandro foi surpreendido pelos agressores que, de posse de uma enxada, desferiram violentos golpes pelas costas, o que causou um grande afundamento no crânio, ocasionando a morte da vítima.

A motivação do crime, segundo o inquérito, foi uma disputa entre os irmãos pela herança e exploração das terras da família, que possui uma propriedade rural em Miradouro.

Segundo informações apuradas pelo departamento de jornalismo da Rádio Muriaé, a hediondez foi tamanha que os envolvidos chegaram a tripudiar da dor e do sofrimento da família. Durante o período em que a vítima estava desaparecida os autores simularam ligações telefônicas para o Pai de Leandro, já idoso e com vários problemas de saúde, com o objetivo de tranquiliza-lo e dar falsas esperanças  de que o filho voltaria pra casa quando ele já estava morto.

Depois de consumado o crime os executores ainda tentaram vender o veículo da vítima, utilizado para realizar o frete e, como não conseguiram, resolveram queimá-lo.

Os três autores foram indiciados pelos crimes de Homicídio Duplamente Qualificado, Ocultação de Cadáver e Fraude Processual cujas penas, somadas, ultrapassam 30 anos.

 

Fonte : Rádio Muriaé

Postado originalmente por: Rádio Muriaé

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: