Quatro suspeitos por assassinato de jovem em Laranjal são presos nesta quarta

Quatro suspeitos por assassinato de jovem em Laranjal são presos nesta quarta
O grupo foi capturado durante operação da Polícia Civil, que contou com apoio da PM em duas das prisões

À tarde, três homens foram presos e uma mulher foi capturada à noite pela PM

O delegado Rangel Martino detalhou que o suposto mandante foi preso em Leopoldina e os demais suspeitos em Laranjal

O corpo da vítima, Felipe Reis Ligeiro (19) foi encontrado no Rio Pomba, no dia 27/07 (Foto: Facebook/reprodução)

Três homens, de 21, 24 e 34 anos, e uma mulher de 37 anos, suspeitos de participação no assassinato cruel de um jovem de 19 anos, ocorrido na cidade de Laranjal – a cerca de 30 km de Muriaé -, no fim de julho, foram presos na tarde desta quarta-feira (22), durante operação da Polícia Civil (PC) que ainda está um curso. O homem de 34 anos, apontado pela PC como suposto mandante do crime, foi capturado em Leopoldina e os outros dois em Laranjal, onde a corporação contou com apoio da Polícia Militar (PM) em uma das prisões.

As quatro pessoas foram presas em cumprimento a mandados judicias de prisão temporária de 30 dias, com possibilidade de prorrogação por igual período. Durante as ações também foram cumpridos mandados de busca e apreensão.

O crime

A vítima, Felipe Reis Ligeiro, de 19 anos, era morador da cidade de Laranjal e estava desaparecido a quatro dias quando seu corpo foi encontrado por um na manhã do dia 27 de julho, nas águas do Rio Pomba, na zona rural de Laranjal.

Em entrevista ao vivo à Rádio Muriaé, no fim da tarde desta quarta (22), o delegado da Divisão de Homicídio da Delegacia Regional de Muriaé, Rangel Martino, que preside o inquérito, falou sobre a operação batizada de “Status Quo” – expressão em Latin que significa “estado em que as coisas estavam antes”, em alusão ao objetivo da Polícia Civil de restabelecer o cenário de tranquilidade vivido em Laranjal antes do crime.

Clique abaixo da 2ª foto e ouça a íntegra da entrevista

O delegado detalhou que o corpo de Felipe estava com as mãos amarradas aos pés pelas costas, e que os exames feitos no corpo do jovem apuraram que ele não foi espancado e que morreu por afogamento, ou seja, foi jogado vivo no rio.

De acordo com Martin, os quatro presos estão envolvidos na prática de tráfico de drogas. A investigação prossegue, e o delegado disse ainda que informações obtidas pela PC denotam que a motivação do homicídio estaria relacionada com o narcotráfico.

 

Texto: Rádio Muriaé – reprodução na íntegra ou parcial permitida somente mediante crédito.

 

Fonte : Radio Muriaé

Postado originalmente por: Rádio Muriaé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: