Missionários Sacramentinos celebram a ordenação de Padre Rafael

Entregar-se de corpo e alma para a missão. A Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora tem um novo sacerdote. Padre Rafael Henrique de Almeida, Sdn, foi ordenado no sábado, dia 06, na Igreja Matriz da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição em Capim Branco-MG, sua cidade natal. A celebração foi presidida pelo Bispo Diocesano de Sete Lagoas, Dom Aloísio Jorge Pena Vitral.

O rito de ordenação é composto de diversas partes, cada uma com seu significado e motivo de ser. Todas elas falam diretamente ao coração do ordenando e de todo o povo de Deus reunido para celebrar Sua misericórdia em dar à Igreja um colaborador necessário e um servo de todos.

“É um momento de gratidão a Deus por ter, primeiro, me proporcionado vivenciar este ministério diaconal na Paróquia de São Lourenço, em Manhuaçu, prestando serviço através da celebração e da proclamação da Palavra, através também dos primeiros sacramentos realizados nesta Ordem, de suma importância para a Igreja, que é o Batismo e o Matrimônio. Acredito que o diaconato serve como base para aquilo que pretendo vivenciar a partir desta ordenação”, afirma Padre Rafael.

Ele ressalta a satisfação em poder ser útil para Deus. “Poder prestar o serviço à comunidade a partir da nossa pequenez, da nossa fraqueza, demonstrando e vivenciando a fortaleza que Deus nos proporciona e também transmitir isso aos nossos irmãos. ”
Na comunidade paroquial, cabe ao padre orientar o povo. A função do padre é ouvir, reunir e orientar as famílias, atender os doentes, administrar os sacramentos, transmitir a Palavra. Diácono quer dizer atendente ou servente. O papel bíblico dos diáconos é cuidar das necessidades físicas e logísticas da igreja, de modo que os presbíteros possam se concentrar no seu chamado primário. “As responsabilidades aumentam. Além dos sacramentos realizados enquanto diácono, agora carrego também a responsabilidade de realizar outros sacramentos, a Penitência, a Confissão, Unção dos Enfermos, e além disso, o principal sacramento da Igreja que é a Celebração Eucarística, a transformação do pão e do vinho em Corpo e Sangue do Senhor. Então, essas responsabilidades trazem um grande compromisso com o Senhor e com toda a comunidade. ”

Descoberta vocacional

Padre Rafael conta que quando criança, não se interessava em ser padre. Assim como os outros da sua idade, se interessava por outras profissões, ser policial, médico, advogado. “Ao me aproximar do serviço da liturgia, eu vi que poderia ser mais útil. A princípio, fui leitor e isso não me bastava. Fui acólito, coroinha, participava dos conselhos da minha comunidade, ajudando na coordenação, nos grupos de oração, de reflexão, e isso foi me despertando para esse serviço na Igreja. Até que o Padre Márcio Pacheco, sdn, me convidou para um encontro vocacional. Ali compreendi como um chamado de Deus na minha vida e como sendo essa a minha vocação. Não foi uma voz do Senhor que me disse ‘Rafael, seja padre’ mas a voz do Senhor agindo no meio das coisas, no meio das pessoas e pelas pessoas” relata o padre, reafirmando seu compromisso com Deus.

Perseverança

Existem muitos percalços na vida vocacional (ou em qualquer outra vida). Padre Rafael conta que não existe uma receita específica para se manter na missão. “Há alguns indicativos que podem nos ajudar a perseverar, não só no chamamento à vida religiosa, mas também em toda a nossa missão e vocação. É necessário e exige de nós momentos de intimidade com Deus. Acredita que Ele tem algo a nos falar e ter disposição para ouvir. O Senhor não erra conosco, Ele nos proporciona a viver. E esta vida com o olhar voltado para a gratidão faz com que nós possamos perseverar e acreditar sempre nesta ação de Deus presente no meio de nós. ”

Planos

Padre Rafael reforça o desejo de aproveitar o momento deste ministério. Para ele, “o plano neste momento é ser sinal da presença de Cristo e, principalmente, o desejo para o futuro é que contagie a juventude para que eles se espelhem nessa vida de consagração. A Igreja precisa de pessoas que vivam o ministério, então que eu possa ser um sinal de inspiração para a juventude.”
Os primeiros passos como padre serão dados na Paróquia de São Lourenço, onde Pe. Rafael também passou seu período diaconal.

João Vitor Nunes / Fotos: acervo pessoal

Postado originalmente por: Tribuna do Leste – Manhuaçu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: