Moradores da Rua Alfredo Gonçalves da Cruz reclamam da alta velocidade de veículos

O movimento da Rua Alfredo Gonçalves da Cruz- Bairro Lajinha parece ser tranquilo, sem risco para as crianças e todos que circulam por ela respeitam as normas de trânsito. Mas, os moradores contam que a alta velocidade de alguns motoqueiros tira o sossego das famílias, principalmente as que têm crianças que brincam na calçada.

Os usuários da via passam acelerando a qualquer hora, sem ao mínimo pensar que uma criança ou uma pessoa idosa possa surgir repentinamente para atravessar. Com isso, a preocupação é constante, barulho frequente de motos e carros em alta velocidade, devido a uma descida.

Na última semana, a atitude irresponsável de um motoqueiro acabou causando atropelamento de dois cachorros pertencentes a moradores do local. A revolta dos moradores foi grande, diante de uma situação que poderia ter sido evitada.

Os moradores contam que eles não respeitam os limites de velocidade, passam a toda hora em alta velocidade e, alguns ainda ostentam o barulho ensurdecedor e estridente, que irrita, além de deixar os moradores com medo de que ocorra um acidente com as crianças na calçada, na rua ou até com um adulto que esteja passando.

A reportagem “Tribuna do Leste” foi ao local, para conversar com os moradores. A dona Eufrásia Tebas, de 86 anos, nos recebeu e contou que não tem tranquilidade desde as primeiras horas do dia. Pela manhã, os motoqueiros começam a passar e alguns ainda realizam cavalo de pau na dimensão da rua. Ela relata que até agora cinco cachorros foram atropelados. “A gente fica com pena dos animais, que já foram atropelados. Alguns morreram. Imagina se fosse uma criança ou adulto. Nosso sossego acabou aqui nesta rua, que já foi bastante tranquila”, conta a aposentada assustada.

Para a moradora Angélica Breder, os órgãos competentes precisam tomar medida com urgência, antes que ocorra um atropelamento por irresponsabilidade de quem pilota moto. Ela comenta que, o quebra-molas pode impedir os motoqueiros a não desenvolverem alta velocidade e evitar que uma pessoa seja atropelada.

Demonstrando total insegurança, Sara Ingrid relata que, além da tristeza que causa em cada um ao ver um animal atropelado por moto, o pensamento remete às crianças que querem ficar um pouco na calçada. Ela diz que as motos vêm rapidamente e o risco é iminente. “Tem a lixeira que está toda torta, a rua servindo de pista de corrida de motos. Pedido já foi feito, mas ninguém fez nada até agora”, reclama a moradora.

Secretário de Obras diz que medidas serão adotadas

A reportagem levou a reivindicação dos moradores da Rua Alfredo Gonçalves da Cruz para a Secretaria Municipal de Obras, a fim de saber o que pode ser feito. De acordo com o secretário de Obras, João Amâncio de Faria, havendo a pacificação dos moradores para as medidas solicitadas, as medidas serão adotadas. Ele se comprometeu que levará o pedido para ser discutido no Conselho Municipal de Trânsito e enviará ao local um técnico para avaliar o pedido dos moradores acerca do quebra-molas. “A segurança dos moradores é prioridade e, precisamos tomar medidas de imediato. O quebra-molas é necessário quando as pessoas não respeitam limite. Farei um levantamento no local e, acredito que o Conselho de Trânsito vai ser favorável a reivindicação dos moradores”, afirma o secretário.

Eduardo Satil

Postado originalmente por: Tribuna do Leste – Manhuaçu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: