Operação Divisas Integradas III une MG, SP, MS e PR

As forças de segurança de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná deflagram, simultaneamente, nesta quinta-feira (29/10), a “Operação Divisas Integradas III”.

MINAS

Em Manhuaçu, 10 prisões foram realizadas no âmbito da 6ª Delegacia Regional de Polícia Civil. Já na área do 12º Departamento, 109 prisões foram efetuadas, totalizando 585 presos em todo o Estado de Minas Gerais, entre prisões preventivas, cautelares, e condenações.

Dentre os órgãos mineiros envolvidos estão a Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal, servidores do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, servidores da Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (Suase) e da Secretaria de Estado da Fazenda e Ministério Público (MPMG).

A ação, que estabelece um marco de integração e parceria entre as polícias dos quatro Estados, tem como objetivo reforçar as atividades de combate ao crime organizado e ao narcotráfico.
Cerca de 20 mil policiais de todos os Estados participantes, agentes do Exército Brasileiro, da Marinha e demais órgãos federais estão empenhados nos trabalhos, que tiveram início preliminar no último sábado (24/10).

As ações preventivas, ostensivas e para cumprimento de mandados judiciais foram realizadas ao longo das divisas das unidades federativas. Para isso, foram empenhadas 6.770 viaturas, 17 aeronaves, 17 drones, 142 cães e 91 embarcações.

Participam da operação as Secretarias de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp-MG) e do Mato Grosso do Sul (Sejusp-MS), as secretarias estaduais de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) e do Paraná (SSP-PR) e as respectivas polícias Militar, Civil e Técnico Científica, bem como o Corpo de Bombeiros Militar e Departamentos de Inteligência.

No âmbito federalista, estão integrados o Exército Brasileiro, a Marinha do Brasil, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Federal e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

SÃO PAULO

Os trabalhos, com início preliminar no último sábado (24/10), foram realizados nos limites das unidades federativas, sendo que, em relação a Minas Gerais e ao Paraná, as atividades aconteceram nas meias divisas, compreendendo as regiões do Triângulo Mineiro e do Noroeste Paranaense.

Integraram as atividades batalhões territoriais sediados nas regiões envolvidas, assim como os comandos de Policiamento de Choque (CPChq), Ambiental (CPAmb), Rodoviária (CPRv), o Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAe) e o Corpo de Bombeiros.

Ainda em São Paulo, participam os departamentos estaduais de Investigações Criminais (Deic) e de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc); os departamentos de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), de Operações Policiais Estratégicas (Dope) e de inteligência da Polícia Civil (Dipol); além dos departamentos de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) e das regiões de Ribeirão Preto, Bauru, Rio Preto, Presidente Prudente e Araçatuba.

PARANÁ

Pela Polícia Militar do Paraná, além dos batalhões de área, atuaram as equipes do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), do Batalhão de Polícia Ambiental-Força Verde (BPAmb-FV), do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), do Batalhão de Fronteira (BPFron), do 2º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pelo Norte Pioneiro e Norte do Paraná, e do 3º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pela região Noroeste do Estado.

Pela Polícia Civil do Paraná participam efetivos da 7ª, 8ª, 9ª, 14ª, 19ª, 20ª, e 22ª Subdivisões Policiais, além da atuação do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), do Núcleo de Operações com Cães (NOC), da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e do Grupamento de Operações Aéreas (GOA).

MATO GROSSO DO SUL

Participaram servidores e policiais das instituições que compõem a estrutura da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp/MS), que atuam no Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas (GGI-FRON-DIV), no Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Coordenadoria Geral de Perícias (CGP), Coordenadoria Geral de Policiamento Aéreo (CGPA), nas unidades da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Civil – entre elas a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron). Também auxiliam na Operação a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz/MS), a Polícia Militar Rodoviária Federal e a Receita Federal do Brasil.

A Polícia Federal disponibilizou ainda pessoal e equipamentos do Grupo de Bombas e Explosivos para a fiscalização de armamentos, explosivos e materiais controlados, como nitrato de amônia. Além disso, está previsto o fomento à resolução de crimes notificados por meio do Disque Denúncia 181.

Postado originalmente por: Tribuna do Leste – Manhuaçu

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: