Polícia Militar de Meio Ambiente prende homem por caça predatória em Lajinha

A Polícia Militar de Meio Ambiente prendeu neste domingo, 21, por volta das 14h30min um homem de 45 anos por caça predatória de animais silvestre na natureza e também por porte ilegal de arma de fogo.

Os militares relataram que enquanto patrulhavam, receberam informações de que um cidadão estava às margens de um córrego, em Lajinha, com uma arma de fogo. Imediatamente deslocaram para o local e após insistência nas buscas acabaram por localizar o indivíduo que estava saindo da margem do córrego. Os policiais abordaram o suspeito e encontraram em seu poder um rifle, calibre .22 e um saco plástico contendo a carcaça de 01 animal, tendo o autor confirmado se tratar de carne de capivara, animal que ele afirmou ter acabado de abater naquele mesmo local, usando para isso a arma de fogo.

Durante diálogo, o autor do crime alegou ter munições em sua casa. A equipe policial, compareceu a residência do autor e após ter sido autorizada a entrar na casa, acabou por localizar e apreender 8 munições de calibre 22 intactas.

O autor alegou que abateu o animal para consumo próprio e que não vende carne de animais silvestres e que também não possuía registro da arma de fogo.

Pela infração administrativa, foi lavrado em desfavor do autor, o auto de infração no valor de R$ 12.620,80 por caçar animal da fauna silvestre nativa sem licença ou autorização do órgão ambiental. Pelo crime o autor foi preso e conduzido a Delegacia de Polícia Civil de Manhuaçu onde o flagrante foi ratificado pela autoridade policial, tendo o caçador permanecido preso.

O Tenente Rodrigues, comandante do 3º Pelotão de Meio Ambiente, esclareceu que a capivara é um animal da fauna silvestre brasileira e a caça desse animal é proibida. Praticar ato de caça predatória tais como: matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida submetendo ao autor a pena de detenção de seis meses a um ano e multa.

Portar arma de fogo sem registro e sem a devida autorização para porte de arma de fogo expedido pelos órgãos competentes também é outro crime grave, que resulta em pena de reclusão, de 2 a 4 anos e trata-se de um crime inafiançável, motivo pelo qual o autor dessa ocorrência foi mantido preso.

O oficial apontou a importância da denúncia anônima, seja pelo telefone 181 ou diretamente ao policial militar. A população pode confiar na sua Polícia Militar e denunciar irregularidades contra o meio ambiente, crimes contra pessoa e contra o patrimônio.

Com informações da Polícia Militar de Meio Ambiente

Postado originalmente por: Tribuna do Leste – Manhuaçu

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: