Ajudando a democratizar a educação

sem-treta-mariana-mendes

João, Vinícius e Waldyr fazem parte do projeto que cria conteúdo para internet e divulga dicas especializadas para quem está inscrito no Enem (Foto: Mariana Mendes)

A implementação do Enem como via de acesso às universidades públicas ajudou muito a selecionar estudantes das escolas estaduais e municipais. Mecanismos como o vestibular unificado e as cotas foram passos decisivos para um visual mais heterogêneo e plural no ensino superior público, no entanto, existem ainda diversas questões em andamento para que se torne mais efetiva essa democratização.

Atualmente ainda há uma disparidade muito grande no preparo dos alunos que farão vestibular. Enquanto alguns estão em colégios e cursos com uma superestrutura, outros precisariam trabalhar alguns meses para conseguir pagar ao menos uma das mensalidades dos colégios e cursinhos para seus filhos e filhas. A disparidade de classes é o grande problema social brasileiro e que afeta todas as outras áreas. Educação é garantia básica do Estado e também é o único caminho para que haja um maior equilíbrio social e econômico.

Diante deste cenário, alguns grupos têm realizado projetos independentes a fim de contribuir para a chegada de conhecimento a um maior número de pessoas. Em Juiz de Fora, três amigos, Vinícius Werneck, 30, professor universitário e doutor em ciências políticas, Waldyr Imbroisi, 27, mestre em estudos literários, e João Carlos Mendes, 23, estudante de engenharia elétrica da UFJF criaram o “Sem Treta”. Um projeto que cria conteúdo para internet e alcança o país inteiro no intuito de espalhar dicas de redação especializadas para quem está inscrito no Enem. “Nosso foco é usar a internet para democratizar o acesso a todos a esse conteúdo, ajudando aquelas pessoas que não fazem um cursinho, por exemplo. A ideia é tornar a possibilidade da competição um pouco mais justa”, define Vinícius.

“Sem Treta”

Para isso acontecer, eles produzem aulas e dicas em formato de podcasts, vídeos, textos e transmissões ao vivo com comentários preciosos sobre a redação do Enem, e o melhor, praticamente tudo é disponibilizado gratuitamente, criando uma rede de estudantes que abrange diversos estados brasileiros. Para quem vive em Juiz de Fora, ainda são oferecidos aulões mensais presenciais, sem custo, sobre temas que permeiam o estudo da escrita, da redação e de assuntos da atualidade que possam ser abordados na prova.

Porém, tão importante quanto estar atento aos temas da atualidade, é conseguir dominar a estrutura ideal para garantir os pontos. É por isso que o “Sem Treta” explora as cinco competências da redação do Enem, sendo que cada uma delas equivale a 200 pontos. Além disso, estar confiante e preparado para escrever um bom texto – no formato pedido e esperado pelos avaliadores da prova – pode significar quase um quarto do sucesso, já que, segundo o grupo, a redação é responsável por 23% do total de pontos e é a única parte em que se pode obter 1.000 como nota.

“Como mandar bem na redação do Enem”

Não explicaremos nesse parágrafo o que é preciso. Na verdade, esse é o nome do primeiro livro do “Sem Treta”, escrito e revisado pelo Waldyr e editado e diagramado pelo Vinicius, feito totalmente de forma independente como mais um dos esforços para ajudar pessoas a entrarem na universidade.

A redação do Enem tem muitas qualidades próprias, Vinicius até fala que pode ser encarada como um gênero à parte, claro que compartilhando normas de outros gêneros textuais. O livro garante que o leitor conheça a estrutura do texto do Enem, além disso, tem uma didática pensada para estudantes de ensino médio. Por ser uma edição de 2017, no último capítulo, intitulado “Saindo do previsível: o seu conhecimento de mundo” traz a lista de todos os temas de redação dos anos anteriores e boas dicas de como e onde buscar leitura e sobre o quê. A leitura integral do livro-guia fará o aluno perpassar por tópicos cruciais, como: planejamento do texto, introdução, coesão e coerência, linguagem adequada e estratégias argumentativas.

O lançamento será no próximo sábado (20) no Constantino Hotel, junto aos aulões que serão oferecidos pelo grupo. O livro também começará a ser vendido em breve na livraria Vozes, bem como na internet, em uma lojinha virtual do “Sem Treta”, por R$20,90.

Sábado é dia de aulão

As inscrições para o Enem encerram-se na sexta (19) e, um dia depois de tomada a decisão, já é possível ter um intensivo sobre redação. O “Sem Treta” organizou duas turmas, uma às 8h e outra às 14h. Serão quatro horas de preparação completa com foco em aprender a estrutura da redação da prova, um dos momentos será uma produção textual coletiva a respeito de um tema sorteado na hora. A fim de ajudar no custeamento dos livros, excepcionalmente, estão sendo vendidos convites para o aulão, a R$ 60, sendo que todos aqueles que fizerem inscrição vão ganhar um exemplar do livro.

Para atingir alunos do ensino público, o projeto fez parceria com a Escola Estadual Duque de Caxias, disponibilizando 50 convites para a instituição e doou um convite para cada aluno do Projeto Garra, um cursinho popular preparatório para o Enem com aulas oferecidas por discentes da UFJF. Todos esses participantes também levarão um livro para complementar os estudos. Para se inscrever no aulão de sábado, o interessado pode acessar a página do “Sem Treta” no Facebook.

Postado originalmente por: Tribuna de Minas – Juiz de Fora / MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: