Morte de idoso indigna moradores no Bairro Benfica

A morte de um idoso, nesta terça-feira (24), no Bairro Benfica, Zona Norte, deixou seus vizinhos indignados, na Rua Lima Duarte. De acordo com os moradores, a vítima, de 74 anos, vinha apresentando febre, nos últimos cinco dias. Na segunda-feira (23), os próprios vizinhos teriam acionado a equipe do Samu para socorrer a vítima, que morava em uma casa nos fundos da residência das duas irmãs, também idosas. Uma seria cega e a outra incapaz.

Conforme os moradores, na segunda-feira, o Samu teria alegado que não podia se deslocar até o endereço, pois estaria realizando outros atendimentos. Na terça, mais uma vez, o Samu foi acionado. Segundo os vizinhos, o idoso já estava morto dentro de casa. A ambulância chegou ao local, por volta das 13h, mas os integrantes da equipe não entraram no imóvel, uma vez que teriam considerado a casa em condições insalubres. Dessa forma, a Polícia Militar também teria sido acionada pelos moradores, para que a situação fosse resolvida, mas, até por volta das 18h desta terça, a PM não havia comparecido ao local.

Uma equipe da Tribuna esteve no endereço e confirmou que o Samu estava com uma ambulância estacionada na rua, em frente à entrada da casa do idoso, mas ninguém da equipe havia entrado no imóvel. A PM também era aguardada.

Integrantes do Samu não entraram no imóvel, uma vez que teriam considerado a casa em condições insalubres (Foto: Fernando Priamo)

A assessoria de comunicação do 27º Batalhão de Polícia Militar, responsável pela região de Benfica, informou, às 19h, que uma guarnição já estava no local, há cerca 30 minutos, onde tomou as providências cabíveis e aguardava a chegada da funerária para a remoção do corpo.

A assessoria também ressaltou que “há prioridades nos empenhos das viaturas policiais, e as guarnições são deslocadas, primeiramente, para onde há risco iminente contra a vida. As demais ocorrências são atendidas na sequência, obedecendo sempre uma ordem de prioridade emergencial, a qual é realizada pelo próprio sistema de gerenciamento de ocorrências, bem como pela avaliação do coordenador do turno de serviço e pelo Centro de Operações”. A assessoria enfatizou que “a prioridade da Polícia Militar é sempre preservar a vida do cidadão”.

Na rua, onde foi o ocorrido, as pessoas que conheciam o idoso estavam preocupadas com a situação. A redação da Tribuna recebeu ligações de moradores relatando o caso e solicitando ajuda. “Nós, vizinhos, estamos todos triste com a morte dele, pois todos gostavam dele. Mas também estamos muito apreensivos com relação a essa morte, neste momento de pandemia”, afirmou o morador Ricardo José da Costa.

Segundo ele, o idoso morava com as irmãs e seus demais parentes são de São Paulo. “O que será dessas duas? Elas também são incapazes e precisam de alguém para cuidar delas. Inclusive, é preciso saber até se elas necessitam ficar em quarentena”, disse o vizinho.

Conforme os próprios moradores da rua, o local habitado pelo idoso era sujo e apresentava muitos ratos. “A gente não sabe o que aconteceu, mas se o Samu tivesse vindo na segunda-feira, talvez ele ainda estivesse vivo”, lamentou Ricardo José.

O Samu foi procurado pela Tribuna e informou que, “assim que chegou ao conhecimento da direção do Samu -192/Cisdeste, o caso foi direcionado à coordenação da Regulação Médica para investigação” e, assim que houver um posicionamento sobre a situação, este será informado.

Até o fechamento desta edição, a ocorrência envolvendo a morte do idoso ainda estava em andamento e não havia informação sobre a causa de sua morte.

Postado originalmente por: Tribuna de Minas – Juiz de Fora

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: