Polícia Civil elucida homicídios registrados em 2020 em JF

Dos 18 casos de homicídios consumados em Juiz de Fora nos últimos quatro meses, 17 já foram apurados pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada em Homicídios, que definiu a autoria e a motivação desses crimes.

De acordo com o delegado Rodrigo Rolli, o único caso que se encontra ainda em investigação é um crime ocorrido em fevereiro, no Bairro Vitorino Braga, quando um homem, de 53 anos, foi encontrado morto e nu em casa, em posição de joelhos sobre a cama, com mãos e pés amarrados.

A vítima, Mário Braga Pinheiro Júnior, foi descoberta após uma vizinha desconfiar do odor que vinha da residência, na Rua do Monte. Como o morador não era visto há cerca de quatro dias e não respondeu às batidas na porta, a mulher decidiu acionar a Polícia Militar. Sobre as investigações desse crime, Rolli afirmou que a equipe trabalha para que seja elucidado o mais breve possível.

O delegado destacou que, no mesmo período de 2019, foram registrados 17 casos. Todos se encontram apurados, segundo ele. Rolli ressaltou que, somente neste mês de maio, durante diligências realizadas no município, a Polícia Civil prendeu cinco suspeitos de praticarem homicídios ocorridos em dezembro de 2019 e nos meses de março e abril deste ano.

Índice de apuração

“Quanto ao índice de apuração dos homicídios de 2020 até agora, temos 94,44% dos casos com autoria e motivação definidas”, afirmou Rodrigo Rolli. No que se refere ao registro de homicídios tentados, foram 26 casos neste ano, enquanto que, em 2019, foram 25 no mesmo período.

Segundo o delegado regional de Juiz de Fora, Armando Avólio Neto, a Polícia Civil, no âmbito da 1ª Delegacia Regional (1ª DRPC), continua se empenhando, com o objetivo de combater essa e outras modalidades criminosas. “Esse índice de apuração revela o comprometimento dos policiais civis da Delegacia Especializada de Homicídios em esclarecer esses crimes, por meio de investigação qualificada”, destacou.

Avólio ainda afirmou que todas as outras delegacias da 1ª DRPC também têm desempenhado as atividades de polícia judiciária com foco na identificação de autorias, da motivação dos delitos e também na retirada de circulação de autores por meio de prisões cautelares e possíveis condenações.

De acordo com o chefe do 4º Departamento de Polícia Civil, Gustavo Adélio Lara Ferreira, a instituição segue cumprindo a sua missão de realizar a investigação criminal de forma eficiente e eficaz. “Combatendo, principalmente a criminalidade violenta, inclusive na área do Departamento, que abrange as delegacias regionais de Juiz de Fora, Ubá, Leopoldina, Muriaé e Viçosa”, enfatizou.

Postado originalmente por: Tribuna de Minas – Juiz de Fora

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: