Servidores da Saúde fazem ato por valorização da categoria em JF

Em JF, manifestação aconteceu em frente à sede da Superintendência Regional de Saúde 

Trabalhadores da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) realizaram ato em 28 cidades, nesta quarta-feira (24), pela valorização da categoria e em defesa da classe como grupo prioritário na campanha de imunização contra Covid-19. Em Juiz de Fora o movimento, que integra servidores efetivos, terceirizados e comissionados, aconteceu em frente à sede da Superintendência Regional de Saúde (SRS), na Avenida dos Andradas, próximo ao Largo do Riachuelo, no Centro.

A classe rebate as acusações de “fura-filas” na vacinação contra o coronavírus, que teriam sido atribuídas a 2.680 servidores da SES, incluindo o ex-secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, que acabou exonerado do cargo no último dia 13, junto com o ex-secretário-adjunto, Marcelo Cabral. Os trabalhadores afirmam estarem sofrendo ataques da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), “mesmo respaldados legalmente pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), por deliberações pactuadas entre o Estado e Município e parecer favorável do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) e da Controladoria Geral do Estado (CGE-MG)”.

“É preciso esclarecer à sociedade qual é o papel dos servidores da SES-MG durante o enfrentamento da pandemia”, diz o presidente da Associação de Especialistas e Gestão da Saúde (AEPGS), Gustavo Bedran. “Entendemos como trabalhadores da saúde todos aqueles lotados na SES-MG, independente de seu vínculo, assim como o Plano Nacional de Imunização (PNI)”. O presidente da associação ressalta que os trabalhadores estão por trás da gestão do SUS para garantir os materiais e os insumos nas unidades hospitalares, além de leitos e transferências quando um paciente demanda uma assistência mais especializada, por exemplo.

“É um trabalho que acontece nos bastidores, que a sociedade acaba não enxergando, e que sem ele não teríamos vacinas para imunizar a população e nem informações em nossos canais de comunicação e na imprensa. Além disso, a rotina da SES continua. São mais de duas mil pessoas atendidas em nossa Farmácia de Minas”, continua Bedran.

A especialista em gestão de saúde e diretora de Regionalização da AEPGS, Joana D’ Arc Zanelli, participou do ato em Juiz de Fora, ocorrido das 12h às 13h. “Foi um movimento pacífico, entendendo esse momento de distanciamento que precisamos ter, com poucas pessoas se revezando e marcando presença para destacar nossa participação e trabalho pelo SUS em Minas.”

Ela lembra que, muitas vezes, o papel desempenhado pelos profissionais da SES parece invisível, mas que todos estão mobilizados desde o início da pandemia, seja em trabalhos de vigilância ou assistência. “Para tudo o que está acontecendo, estamos na linha de frente. Tem todo um trabalho por trás quando um leito de UTI precisa ser montado. Respeitamos os critérios (de vacinação), mas a população não entende nosso lado, e alguns colegas estão sendo ameaçados. Queremos mostrar que seguimos trabalhando no enfrentamento à Covid, revendo as orientações de como atender com segurança, mantendo o atendimento possível, de acordo com as ondas e o movimento epidemiológico. E a participação da população é muito importante, porque só venceremos todos juntos.”

Foto: SRS-JF/Divulgação

Postado originalmente por: Tribuna de Minas – Juiz de Fora

%d blogueiros gostam disto: