Caso de fogo em colmeia de abelhas em Araguari se trata de crime ambiental; entenda

Um simples caso de fogo em uma colmeia de abelhas, que estava localizada em um prédio do Centro de Araguari, foi parar nas mãos da polícia. O motivo é que os animais são da espécie Arapuá, que pertence à fauna e flora do país e é, por consequência, protegida pela lei.

Um vídeo foi gravado na noite da última terça-feira, 26, e aparentava ser um incêndio, em um primeiro momento (confira na reportagem abaixo). No entanto, se tratava de um crime ambiental que pode resultar em até um ano de prisão, de acordo com o Capitão Pavão, da Polícia Militar de Meio Ambiente.

“O crime ocorre quando o espécime que foi vítima do ataque pertence à fauna brasileira. A pessoa que praticou a ação de colocar fogo pode ser enquadrada no artigo 29 da Lei 9.605, que prevê crimes ambientais. A pessoa vai responder pelo crime e prevê a detenção de seis meses a um ano e ainda há multa ambiental”, disse o Capitão.

As abelhas Arapuá são inofensivas e bastante utilizadas na meliponicultura, que é a criação artesanal de abelhas sem ferrão. Já a mais conhecida apicultura utiliza espécies que possuem o ferrão, o que exige maiores cuidados.

O administrador de empresas Reinaldo Natalino, que também é meliponicultor, afirma que o mel produzido pelas abelhas Arapuá é de excelente qualidade, apesar a baixa produtividade em relação às espécies que possuem ferrão. E incomodado com o que aconteceu, deu dicas de como se livrar de uma colmeia de abelhas.

“É importante entrar em contato com os bombeiros ou com as pessoas que fazem resgate. Matar, nunca, de forma alguma. É crime ambiental e nós temos que protegê-las”, disse.

Informações: Carlos Vilela

Postado originalmente por: Portal V9 – Vitoriosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: