Após iniciar racionamento em presídios, Zema diz não ter medo de uma possível revolta nos detentos

O governador Romeu Zema (Novo) afirmou não ter medo de uma possível revolta dos detentos por conta do racionamento de água nos presídios de Minas. A afirmação de Zema foi feita nesta segunda-feira (2). De acordo com o governador, a situação está sendo monitorada.

Ainda segundo Zema, o racionamento é necessário porque o consumo médio de água nos presídios está acima do previsto. Mensalmente, o estado gasta em torno de R$ 8 milhões a R$ 10 milhões com as contas de água dos presídios.

A nova mediada para economia de água começou a ser adotada nas unidades prisionais neste domingo (1°). Com isso, a água vai poder ser usada durante 6h nos presídios. Atualmente são 72 mil presos em 197 unidades prisionais.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que um detento gasta em média 88% mais água do que um cidadão comum.

Apesar de o governo adotar a medida a Defensoria Pública de Minas Gerais vai entrar com uma ação extrajudicial ou judicial ainda no início desta para evitar o racionamento.

Anexos para downloads:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: