Casal suspeito de morte de menor é preso

A Policia Civil de Minas Gerais, através do 11º Departamento de Montes Claros, e por meio da 4ª Delegacia Regional de Taiobeiras, realizou durante a semana passada, as prisões dos investigados, D.S.S., 20 anos de idade e de sua companheira J.S.N, de 20 anos. O casal é suspeito de praticar um crime bárbaro na região. Recai sobre eles a autoria de homicídio qualificado, por motivo fútil e pela impossibilidade de defesa da vítima.Entenda o caso
Em data de 14 de Novembro do ano em curso, a vítima, uma criança de 10 anos de idade, desembarcou no veículo do transporte público escolar de Indaiabira, como sempre fazia nos dias letivos. Para chegar a sua residência, a vítima tinha que percorrer cerca de 1,5km à pé. No dia dos fatos, o menor não chegou. A Polícia foi acionada e realizou seus trabalhos.
Das investigações
A Polícia Civil concluiu que no trajeto, a criança foi abordada e levada para o matagal, local em que foi ateado fogo ao seu corpo, vindo a óbito.
Durante as investigações, policiais concluíram que o primeiro investigado, irmão da vítima e a sua companheira seriam os suspeitos do crime. O fato de a vítima ser irmão e cunhado dos suspeitos, facilitou o crime, ele foi atraído e não desconfiou que seria morto.
Os suspeitos foram presos por Decisão Judicial. O Inquérito encontra-se em trâmite na Delegacia da Comarca de Taiobeiras.
O Delegado Gildeilson Contão, Regional de Taiobeiras, sobre os fatos disse: é um crime bárbaro e brutal, praticado no seio da família, cuja entidade tem o dever de zelar por suas crianças. A Polícia Civil tem coibido a prática de crimes violentos na região, nossa resposta à sociedade é a prisão destes criminosos.
D.S.S foi autuado em flagrante em data de 18.11.2019, em virtude de crime contra a administração pública (desobediência), contra a propriedade imaterial e o meio ambiente, delitos praticados em sua residência, na zona rural, local dos fatos. Na sequência, esse mesmo investigado foi preso temporariamente em 20/11, conforme decisão judicial nesse sentido. A segunda investigada foi presa temporariamente em data de 23 de novembro, durante o dia em sua residência.
Se condenados os suspeitos suportaram uma pena de até 30 anos de reclusão em virtude do crime acima referido. Reafirmamos o nosso compromisso que prestar investigação policial de excelência, coibindo toda prática de crimes contra a vida.
 

Postado originalmente por: VinTV

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: