Mulheres se destacam na ocupação de vagas de empregos em Montes Claros

Em maio de 2021, mês em que se comemorou o Dia Internacional do Trabalho, o mercado de empregos em Montes Claros teve um saldo positivo na relação entre as admissões e desligamentos de vagas formais, com a abertura de 143 novos postos. E as mulheres foram as principais responsáveis pelo resultado positivo, segundo o cenário revelado em boletim do Observatório do Trabalho do Norte de Minas (OTNM), projeto da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

O levantamento mensal é realizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Administração (Gepad), vinculado ao Departamento de Ciências da Administração da Universidade. De acordo com o estudo mais recente, divulgado nesta sexta-feira (2/7), embora seja positivo o saldo em maio foi inferior ao obtido em abril, correspondente a apenas 28,5% do quarto mês do ano que teve 503 novos postos de trabalho.

“Isso se deve à menor movimentação do mercado como um todo, provocando redução nas admissões (-10,7%) e acréscimo nos desligamentos (2,5%)”, afirma o professor Roney Versiani Sindeaux, que coordena a pesquisa juntamente com o professor Rogério Martins Furtado de Souza.

Ele destaca um “fato atípico” observado em maio em Montes Claros: as mulheres foram responsáveis por quase a totalidade (97,9%) do saldo positivo no mercado formal de emprego. Em maio, foram contratadas 1.132 mulheres e demitidas outras 992 trabalhadoras na cidade (saldo de 140 postos de trabalho).

Ainda no quinto mês do ano, entre os homens, foram registradas na cidade 1.381 admissões e 1378 desligamentos (saldo de apenas três postos de trabalho). O gênero masculino respondeu por 55% das admissões e, ainda, 58,1% das demissões, enquanto o sexo feminino foi responsável por 45% das dispensas e 41,9% dos desligamentos.

RECUPERAÇÃO NA PANDEMIA

O professor Roney Sindeaux observa que o estudo mensal verifica ainda a recuperação dos empregos em Montes Claros perdidos na pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19), no comparativo com o final de 2019. As restrições à Economia no Brasil por causa da pandemia foram iniciadas em março de 2020.

“Analisando o saldo acumulado nos últimos meses, é possível perceber que Montes Claros já recuperou os postos de trabalho formais perdidos em função da pandemia. Atualmente, o município tem cerca de três mil vínculos a mais do que tinha ao final de 2019. No ano, o percentual do crescimento no número de trabalhadores empregados está em 1,89%”, afirma o coordenador do Observatório do Trabalho da Unimontes.

PERFIL DO TRABALHADOR

Quanto ao perfil do trabalhador que obteve o melhor resultado em maio na relação contratações/demissões estão as mulheres na faixa etária de 18 aos 24 anos, com ensino médio completo ao superior completo e contratadas por microempresas do comércio e dos serviços. A remuneração na faixa salarial de 1 a 1,5 salário-mínimo.

Outra constatação do estudo: as maiores perdas aconteceram entre os trabalhadores do sexo masculino na faixa etária acima dos 30 anos com ensino médio completo, que atuavam principalmente em médias e grandes empresas do setor de serviços, médias empresas do setor agropecuário e grandes empresas da indústria.

No que refere aos setores econômicos, os maiores saldos foram positivos para a Construção Civil e Comércio. Foram registrados saldos negativos para a indústria e a Agropecuária. Já no acumulado dos últimos nove meses, os setores dos serviços e do comércio apresentam os melhores saldos.

“Quanto ao porte das empresas, conforme o relatório de maio as empresas com melhor resultado foram as microempresas e as com pior resultado aquelas de grande e médio porte. Porém, no acumulado dos últimos nove meses, as grandes empresas permanecem com relativamente bom saldo positivo e apenas as médias apresentam saldo negativo”, diz o boletim do Observatório do Trabalho da Unimontes.

Postado originalmente por: VinTV

%d blogueiros gostam disto: