Vídeo educativo orienta o que fazer na quarentena caso a criança tenha dor no dente de leite

Cárie, infecção e trauma dentário são os principais motivos que levam os pais a procurar pelo atendimento odontológico de suas crianças. Com base no histórico de casos nas clínicas infantis da Universidade Estadual de Montes Claros, professores e acadêmicos do Departamento de Odontologia se organizaram para produzir um vídeo educativo sobre a questão.

O material serve de orientação aos pais e responsáveis sobre como se procederem com as crianças em caso de dores e de outros incômodos na boca, especialmente neste período da quarentena por causa do Novo Coronavírus (Covid-19). A iniciativa conta com a colaboração do Departamento de Ciências da Computação.

“Sentimos muito em não prestar os atendimentos odontológicos eletivos, que estão desaconselhados neste momento de pandemia. Como sabemos que as crianças podem ser acometidas por uma dor no dente de leite, produzimos este vídeo para orientar os pais sobre o que fazer neste período de isolamento, uma forma de ajudar a reconhecer a necessidade ou não de um atendimento odontológico de urgência”, explica a professora Verônica Oliveira Dias, uma das coordenadoras da iniciativa.

Casos

Na Clínica Infantil da Unimontes, por exemplo, 90% das crianças que procuram atendimento odontológico são acometidas pela cárie na primeira dentição. Os demais problemas, como traumatismos e os abscessos, que são as infecções de origem dentária, também são registrados com certa frequência. Com uma narração didática e ilustrações bem definidas, o vídeo com a duração de 3min10s ajuda a identificar a causa das dores de dente de leite e como minimizá-las como evitar o consumo de doces e alimentos bem gelados ou muito quentes.

A ingestão de alimentos saudáveis é um fator que contribui para controlar a saúde bucal das crianças. COMO É Responsável pela disciplina “Clínica Infantil II”, a professora Verônica Dias explica que a dentadura decídua (antes chamada de dentição decídua), popularmente conhecida como “dentes de leite”, inicia aos seis meses. Até aos dois anos, a criança alcançará a dentadura decídua completa (20 dentes) e, a partir dos 5 anos, começa a troca pelos dentes definitivos.

“Esta dentadura mista (dentes de leite e dentes permanentes), em geral se estende até os 12 anos”, acrescenta a pesquisadora, que também é professora colaboradora do Programa de Pós Graduação em Cuidado Primário em Saúde, com especialização em Odontopediatria e Bioética e doutorado em Ciências da Saúde pela própria Unimontes. Também participam do projeto do vídeo os professores doutores Maria José Lages de Oliveira (Odontologia) e Romerson Deiny Oliveira (Ciências da Computação), além dos acadêmicos Mauro Costa Barbosa e Sayonara Sabrina Caldeira, ambos de Odontologia, e Ítalo Magalhães Perpétuo, do curso de Sistemas da Computação.

O vídeo pode ser acompanhado pelo endereço https://vimeo.com/417343662.

Postado originalmente por: VinTV

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: